Kung fu e nutrição

27 de junho de 2014 ● POR

 Dentre estes, destacam-se a melhoria no funcionamento cardiovascular, o fortalecimento muscular, resistência física e imunológica, aumento da coordenação motora, da consciência corporal, além de promover mudança no estilo de vida, colaborando positivamente também para a manutenção do peso corporal, disposição e alívio do estresse diário.

Mas, para atingi-los precisamos traçar um plano de treino e alimentação adequada, e acima de tudo, personalizada, seja para redução da gordura corporal, o aumento da força muscular, apenas como atividade física/exercício ou no caso de atletas, pensando na melhoria do desempenho e performance para as competições.

No Kung fu, assim como em outras  artes marciais, a agilidade, força e explosão são características da modalidade, portanto, envolve boa forma física, articulações fortes e resistentes, controle do peso, condicionamento cardiovascular e boa condição de hidratação e nutrição. Caso o atleta ou praticante não tenha esses “pré-requisitos”, corre-se um sério risco de sofrer lesões ou seu desempenho cair.

Com toda rotina de treinamento, uma  alimentação adequada é fundamental para  que os objetivos sejam atingidos. A alimentação  adequada e balanceada, segundo a American Dietetic Association, é um componente  essencial de qualquer programa esportivo ou  de aptidão física.  Segundo a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBME)  não restam dúvidas quanto às mudanças favoráveis da composição corporal e a influencia positiva sobre o desempenho esportivo de atletas após o manejo dietético.

O consumo alimentar insuficiente em energia, e consequentemente, em termos de  nutrientes, pode levar o  organismo a situações de estresse, como  fadiga crônica, perda de massa muscular,  maior susceptibilidade a doenças infecciosas e baixa imunidade). Cada nutriente tem seu papel específico no nosso organismo e a falta de apenas um deles já causa uma série de efeitos que modificarão o aproveitamento dos demais.

Os carboidratos atuam como substratos energéticos indispensáveis, sendo fonte de energia imediata e essencial para o bom funcionamento dos sistemas, órgãos e células. Eles também atuam na preservação das proteínas, responsáveis pela formação da massa muscular, influenciam diretamente na dinâmica metabólica, tendo em vista que uma ingestão insuficiente em carboidratos pode ocasionar a ativação da síntese de glicose por meio de aminoácidos que seriam utilizados no reparo, manutenção e hipertrofia dos tecidos.

As proteínas constituem estruturas celulares, conferem elasticidade e resistência a órgãos e tecidos, regulam a função hormonal, atuam defendendo o corpo contra possíveis agentes patogênicos, transportam compostos e, principalmente, constituem miofibrilas responsáveis pela contração muscular. Além de tudo, as proteínas ingeridas na alimentação adequadamente, são essenciais para o fornecimento de aminoácidos, que por sua vez, através de processos anabólicos, formarão os músculos.

Os lipídios (gorduras) são importantes para uma ótima absorção de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K), compõem membranas celulares, são precursores de hormônios como testosterona e estrógeno, e acima de tudo, excelente fonte de energia. Atualmente, nos preocupamos com a grande prevalência de obesidade da população, mas por outro lado, os lipídios são fundamentais para a nossa sobrevivência. Isso reforça a necessidade de uma dieta personalizada para cada indivíduo, sem deficiências ou excessos de nutrientes.

As vitaminas e minerais, são importantíssimas, principalmente, por exercer funções metabólicas antioxidantes, que são essenciais para esportistas e atletas no que tange sua recuperação e eliminação e metabólitos originários do exercício físico intenso.

Além disso, cada vitamina e mineral possui uma função específica a desempenhar. O ferro faz parte de diversas enzimas relacionadas à proliferação celular e transporte de oxigênio no músculo e no sangue. O sódio e o potássio estão associados à contração muscular e impulsos nervosos, controle do balanço hidro-eletrolítico  e batidas do coração. O zinco participa do metabolismo das proteínas e carboidratos, e crescimento saudável. O cálcio, além de sua função em manter osso e dentes fortes, é importante para a vasoconstrição  e vasodilatação, contração muscular, transmissão de impulsos nervosos, secreção de hormônios e emagrecimento. Já o fósforo e o magnésio, atuam em conjunto na produção de energia (ATP). O  cromo, possui efeito ergogênico por estar relacionado ao transporte de insulina e aminoácidos dentro do músculo.

As vitaminas A, C e E, são importantes antioxidantes, que como dito, eliminam “restos” metabólicos pós exercício.  A vitamina C também possui forte participação no emagrecimento quando ingerida adequadamente. A vitamina D, atua sobre o tecido muscular e transporte de cálcio, sendo que sua deficiência relaciona-se com diminuição de força e massa muscular. As vitaminas do complexo B, atuam sobre a geração de energia fornecendo coenzimas que irão converter alimento até que este seja aproveitado pelo corpo.

Com isso, podemos ver que uma alimentação balanceada sem a ajuda de um nutricionista, nem sempre é possível. Procure sempre orientação com um profissional para que sua saúde e desempenho não sejam prejudicados.

Referências:

· American Dietetic Association and Dietitians  of Canada.Nutrition and Athletic Performance. Medicine Science in Sports Exercise. 2000.

· Institute of Medicine. Dietary reference intakes for calcium, phosphorus, magnesium, vitamin D, fluoride, vitamin C, vitamin E, selenium, carotenoids, vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, zinc, energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein and amino acids. Washington (DC): National Academy Press. 1997. 2000. 2002. 2005.

· Musselli, L. C.; Sanches, F. Z. Avaliação do Perfil Antropométrico e do Consumo Alimentar de Praticantes De Kung Fu de uma Academia de Valinhos-SP.

Disponível em:

· Silva, S. M. C. S.; Mura, J. D. P. Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia. 2ª edição. São Paulo. Roca. 2011.

Letícia Musselli

Graduada em Nutrição pela Universidade Paulista – Unip; Especialista em Bases Nutricionais na Atividade Física e Nutrição Esportiva pela Universidade Estácio de Sá; Responsável pela nutrição dos praticantes de musculação da Academia DNA Sport Valinhos; Atende praticantes de todos os esportes na cidade de Valinhos. E-mail: leticia_shaolin@yahoo.com.br