Profissionais de Educação Física comemoram nova legislação

12 de janeiro de 2016 ● POR

No dia sete o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) sancionou o projeto de lei 7.195, de autoria do deputado Gustavo Tutuca, que determina exclusividade no ensino de educação física por professores formados.

O professor de educação física João Verneque morador da cidade de Resende que há anos vem defendendo e lutando pela valorização atualização e capacitação profissional de todos os profissionais da região sul fluminense, liderou e organizou diversas manifestações em 2014, recolhendo, inclusive, assinaturas e distribuiu informativos para toda a população alertando sobre o desprestígio da categoria. A resolução do Conselho Nacional de Educação (nº 07, de 14 de dezembro de 2010) permitia que as aulas de Educação Física ficassem a cargo do professor de referência de turma. “Agora, com a nova lei em vigor no estado do Rio de Janeiro todos os seguimentos públicos e privados terão que cumprir: as aulas serão ministradas somente por profissionais de Educação Física. A aprovação desta lei não beneficia somente o profissional, mas sim toda a população, pais e responsáveis. O profissional de Educação Física tem embasamento teórico o suficiente para contribuir com desenvolvimento e crescimento de crianças, jovens e adultos. Com atividades de coordenação motora lateralidade e atividades desportivas contribuindo com o emagrecimento e diminuindo o índice de obesidade infantil quem vem aumentando a cada dia no Brasil”, comenta, agradecendo o apoio dos colegas da categoria e a população.

Em 2014, acompanhado de outros professores de Educação Física, Verneque promoveu uma caminhada pelo Calçadão de Campos Elíseos. Com faixas e cartazes. “O estado do Rio de Janeiro conta atualmente com 38 mil professores de Educação Física e uma modificação na lei pode resultar em desemprego em massa. Com a legislação favorável e condizente com nossa profissão já é complicado para um profissional se manter no mercado, ainda mais no interior. Protestamos contra a resolução em caminhada com carro de som, distribuição de folders e panfletos e atividade cultural”, lembra Verneque.

Na ocasião foram recolhidas assinaturas de apoio com abaixo-assinado, encaminhado para os Conselhos Regional e Federal de Educação Física.

Matéria publicada no site A Voz da Cidade