Cardiopatas podem se exercitar?

27 de outubro de 2015 ● POR

Em geral sim, entretanto indivíduos que possuem qualquer cardiopatia necessitam de acompanhamento de um cardiologista e de um profissional de Educação Física especialista na prescrição de exercício nessas condições.

Antes de iniciar qualquer programa de treinamento físico, os cardiopatas devem necessariamente passar por uma avaliação médica e testes laboratoriais, que irão determinar as condições atuais e quais exercícios podem ser prescritos.

As doenças no coração que impedem completamente a prática de exercícios físicos são poucas. Em geral existe limitação para a execução de determinadas atividades, que devem ser discutidas entre o cardiologista e o profissional de Educação Física.

Ao contrário do que se defendia no passado, hoje já é comprovado que a grande maioria das cardiopatias na infância não impede que a criança pratique exercícios no ambiente escolar, inclusive faz parte do tratamento em várias situações.

As estratégias de prescrição não são as mesmas em relação a outros indivíduos. Os cardiopatas normalmente não estão aptos a exercício no mesmo volume e intensidade. Como exemplo, a caminhada não será com a mesma distância e velocidade.

A grande questão é que a maioria das cardiopatias na fase adulta são causadas justamente pelo sedentarismo, hábitos alimentares ruins, estresse, etc.

A lição que tiramos a respeito é que a prática de exercícios físicos é uma necessidade, ficando à sua escolha, caro leitor, praticar para manter uma vida saudável ou para recuperar a saúde no futuro. A primeira opção sem dúvida é a mais fácil, ainda está em tempo de escolher.

Marcelo Algauer de Almeida é formado em Educação Física, pós-graduado em Fisiologia do Exercício. Professor universitário, preparador físico e faixa preta de Taekwondo.

Matéria publicada no site Paraná On line