Medicina esportiva busca saúde

01 de agosto de 2006 ● POR

Moisés Cohen
A medicina esportiva é uma especialidade médica que surgiu entre as décadas de 1940 e 1950, na Itália

Moisés Cohen
A medicina esportiva é uma especialidade médica que surgiu entre as décadas de 1940 e 1950, na Itália e na Alemanha. Atualmente, com a divulgação sobre os benefícios que a atividade física traz, principalmente no combate às doenças ateroscleróticas coronarianas, hipertensão arterial sistêmica, obesidade, diabetes melitus, osteoporose e osteoartrose, muitas pessoas estão, por conta própria, iniciando atividades físicas sem o menor preparo. Assim sendo, os distúrbios e as lesões do aparelho locomotor tem-se tornado cada vez mais rotineiros.
É comum recebermos, em nossos consultórios, queixa de dores nas diversas articulações ou até mesmo lesões graves, decorrentes da utilização de aparelhos em academias, nem sempre adequados, com cargas excessivas. Muitas vezes, as pessoas também são mal-orientadas. Além disso, a busca pelo corpo ideal, num curto espaço de tempo, vem aumentando o uso indiscriminado de anabolizantes.
A avaliação médica, acompanhada de exames complementares, que abordam os sistemas cardiocirculatórios, neurológicos, musculares e biométricos, são essenciais para o início da atividade pretendida.
Um programa regular de exercícios físicos deve possuir pelo menos três componentes: aeróbio, sobrecarga muscular e flexibilidade, dando ênfase em cada um destes de acordo com objetivo da pessoa. Todo início ou reinício de atividades deve ser gradativo, especialmente para indivíduos mais idosos. Primeiramente, aumenta-se a duração, para depois ser modificada a intensidade. A atividade não deverá provocar fadiga em cada sessão de exercícios, mas tão somente cansaço leve, que demande menos de uma hora pós-esforço para seu completo desaparecimento.
Da mesma forma que o excesso e a prática inadequada de atividade trazem prejuízos à saúde, o oposto também é preocupante. Pesquisas recentes revelam que o sedentarismo atinge cerca de 70% da população mundial e mata mais que a obesidade, tabagismo e o colesterol alto. Portanto, inicie uma atividade física, mas antes consulte um profissional da área para que sua atividade seja realizada de forma correta e traga apenas benefícios para sua saúde.
Moisés Cohen é professor do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte. Site: www.institutocohen.com.br