Os erros mais comuns relacionados à saúde do coração

18 de setembro de 2015 ● POR

A cada dois minutos, uma pessoa morre decorrente de problemas no coração no Brasil.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no Brasil e as estatísticas para o futuro não são promissoras. Estas são constatações da Organização Mundial da Saúde (OMS) que reforça: a rotina corrida e estressante – especialmente nos grandes centros – pode levar a péssimos hábitos alimentares e à falta de atenção aos sintomas cardiovasculares, podendo resultar em infarto ou acidente vascular cerebral – o famoso AVC.

Segundo a nutricionista Christiane Vitola, é importante estar atento às atitudes diárias que podem se transformar em grandes erros e com sérias consequências. “As pessoas sabem que a saúde é um assunto de extrema importância, mas continuam cometendo os mesmos deslizes quase que de forma inconsciente. Só uma mudança de comportamento e de estilo de vida pode ajudar a reduzir os níveis de colesterol e colaboram com a prevenção da saúde”, diz.

Conheça os sete erros mais comuns de quem não cuida bem da saúde e saiba como melhorar seus hábitos para ter um coração e uma vida mais saudáveis:

1. Não realizar exames de rotina
Saúde em primeiro lugar. Não deixe que a correria diária coloque em segundo plano exames simples e de rotina, como medir os níveis de açúcar no sangue, a pressão sanguínea e os níveis de colesterol. Tenha hábitos saudáveis e consulte regularmente um especialista (pelo menos uma vez ao ano) para manter sua saúde em dia. Como já diz o ditado: prevenir é melhor do que remediar (e também evita muitos sustos e gastos desnecessários).

2. Alimentação desequilibrada
Evite o consumo excessivo de carnes vermelhas e alimentos muito gordurosos.
Para manter o nível de colesterol total adequado, consuma regularmente frutas e legumes (pelo menos cinco porções diárias), grãos integrais, alimentos derivados de óleos vegetais como o creme vegetal, carnes magras, aves e peixes oleosos, como salmão, sardinha e atum.A alimentação equilibrada é o primeiro passo para a prevenção de diversas doenças, pois ajuda a evitar deficiências nutricionais e prevenir o aparecimento de doenças crônicas.

3. Viver estressado
Excesso de trabalho, insegurança, frustrações, pressão. Esses são alguns dos problemas que as pessoas enfrentam todos os dias – especialmente nas grandes cidades. Problemas que podem levar ao estresse e acabam desencadeando reações por todo o corpo, afetando inclusive o coração. A associação desses fatores com uma pré-disposição à doença e a maus hábitos alimentares e físicos pode ser perigosa. Quem vive uma rotina estressante libera altos níveis de hormônios,como a adrenalina,responsável por aumentar a respiração e a frequência cardíaca, alterando a pressão arterial. Por isso, tente identificar as causas do estresse e passe a tomar atitudes para neutralizá-lo, como uma alimentação mais balanceada, a prática de atividades físicas e períodos maiores longe do celular. Essas mudanças evitam que o estresse se torne crônico, mas caso identifique sinais de depressão, consulte um médico.

4. Sedentarismo
A prática de atividades físicas é uma das melhores amigas do coração saudável. Além de ajudar a combater o stress e a fadiga física e mental, fazer exercícios de intensidade moderada por pelo menos meia hora todos os dias ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue, combater a obesidade, reduzir o colesterol e diminuir a pressão arterial. Essa atividade por ser dividida em lotes de 15 minutos e podem incluir ações simples e cotidianas, como jardinagem e caminhadas.

5. Estar acima do peso
Alguns quilinhos a mais sempre incomodam, não? Mas, muito além da estética, o excesso de peso é hoje um dos fatores mais graves para o aparecimento de doenças cardiovasculares. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a obesidade é um dos maiores problemas de saúde da atualidade e atinge indivíduos de todas as classes sociais. Com dietas ricas em gordura saturada (que é encontrada principalmente em produtos de origem animal), as pessoas ficam mais propensas ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares que podem levar ao infarto. Por isso, sempre que for ao supermercado, mantenha sob controle na lista de compras os alimentos ricos em gordura saturada e dê preferência para carnes brancas, legumes, verduras e frutas e adicione alimentos que contenham fitoesteróis, como o creme vegetal adicionado dessa substância.

6. Fumar
Fumar é um péssimo hábito – não só para a saúde do coração, mas para o corpo como um todo. Hoje, o tabagismo ainda está entre os maiores vícios dos brasileiros. Além disso, o cigarro é responsável pela diminuição da espessura dos vasos sanguíneos, reduz a concentração de oxigênio no sangue e gera um ritmo cardíaco anormal, aumentando a reação inflamatória do corpo e favorecendo o aparecimento de placas de gordura nas artérias. Para
quem quer deixar esse vício no passado, alimentos com propriedades calmantes podem ajudar: alface, espinafre e o maracujá diminuem a ansiedade. Ricas em vitamina C, frutas cítricas como laranja, acerola e abacaxi auxiliam na redução da liberação de cortisol, hormônio presente em situações de estresse e que combatem os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento das células, algo muito presente nos fumantes.

7. Consumir bebida alcoólica em excesso
Moderação é o segredo. Isso significa um consumo de, em média, um a dois drinques por dia para homens e uma bebida por dia para as mulheres. O álcool em grande quantidade causa enfraquecimento das células musculares cardíacas, levando a uma doença chamada miocardiopatia alcoólica e também pode levar ao fechamento das artérias. Além disso, pode levar a arritmias, aumenta os perigos de hipertensão arterial, obesidade, acidente vascular cerebral, câncer de mama, suicídio e acidentes.
Matéria publicada no site Bonde