As mulheres estão com tudo na educação física escolar

06 de dezembro de 2016 ● POR

Com um intenso debate sobre a igualdade de gêneros em todo o mundo, fomos atrás de pesquisas que pudessem embasar uma opinião mais aprofundada acerca do tema. Dentre vários estudos, encontramos um que achamos merecer destaque, publicado pela Revista Motriz da UNESP de Rio Claro. Abaixo a síntese do conteúdo e um link para a leitura total do artigo. Aproveitem!

A pesquisa objetivou mapear alguns aspectos relativos ao quadro teórico dos estudos de gênero na Educação Física (EF) no Brasil: correntes teóricas, temáticas recorrentes, lacunas, grupos de pesquisa e intelectuais cadastrados no CNPq, além dos livros sobre Gênero na EF e esporte.

A literatura aponta que os estudos de gênero na EF iniciam na década de 1980, organizando-se em três correntes centrais: marxista, culturalista e pós-estruturalista. Abordam temáticas como: metodologias de ensino na EF escolar, estereótipos nas práticas corporais, mecanismos de inclusão e exclusão na EF; História das Mulheres no desporto; Representações sociais sobre Gênero na mídia esportiva;

Mulheres em posições de comando no desporto; e Identidades de gênero no desporto. Tais estudos têm abordado prioritariamente as mulheres, apresentando algumas lacunas teóricas. Identificaram-se 14 livros sobre a temática na literatura da EF, além de grupos de pesquisa consolidados na EF, intelectuais com doutoramento na área e um número relevante de teses e dissertações.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

Publicado em: Motriz, Rio Claro, v.17 n.1 p.93-103, jan./mar. 2011
Autores: Fabiano Pries Devide, Renata Osborne, Elza Rosa Silva, Renato Callado Ferreira, Emerson Saint Clair e Luiz Carlos Pessoa Nery.