Clube Esperia de SP publica edital com 25 vagas para profissionais de educação física e esporte

21 de fevereiro de 2017 ● POR

Nesta sexta-feira (17/02) o Clube Esperia, um dos mais tradicionais do país, divulgou o edital para a seleção de profissionais para compor o projeto “Esperia Rumo à Tóquio”.
As vagas são destinadas à profissionais de educação física e esporte das modalidades Olímpicas: Arco e Flecha, Atletismo, Basquete, Judô, Natação, Tênis e também para preparador físico; e Paralímpicas: Arco e Flecha, Basquete em Cadeira de Rodas, Voleibol Sentado e Tênis. Existem também vagas para fisioterapeutas.
“Esperia Rumo a Tóquio” (Projeto nº. 06/2016 – Convênio 93) foi um dos projetos apresentados pelo Esperia e aprovado pelo Comitê Brasileiro de Clubes – CBC. Os recursos disponibilizados pelo CBC para a realização deste projeto terão a duração de 4 anos, e destinam-se exclusivamente para o custeio de salários dos profissionais contratados. O objetivo é contribuir para a formação e desenvolvimento de atletas e paratletas que possam representar o Brasil.
“No ano passado o Esperia voltou ao cenário olímpico com a arqueira Marina Canetta Gobbi, que participou dos Jogos Olímpicos Rio-2016. Também contamos com 4 paratletas da equipe de Basquete em Cadeira de Rodas competindo nos Jogos Paralímpicos Rio-2016. Nossa proposta é contribuir ainda mais para a excelência do esporte brasileiro formando atletas de alto rendimento que possam representar o país nas próximas competições”, comenta o presidente do Clube, Dr. Osmar Monteiro.
A seleção dos candidatos às vagas será realizada através de análise curricular e entrevista. Para consultar as condições de participação no processo seletivo acesse o edital completo no site do Esperia:
http://portal.esperia.com.br/site/wp-content/uploads/2015/07/processo_selecao_profissionais.pdf
Os interessados deverão enviar currículo, única e exclusivamente, para o e-mail: projetos@esperia.com.br no período de 17 a 22 de fevereiro.
Sobre o Comitê Brasileiro de Clubes
Desde janeiro de 2014, o Comitê Olímpico Brasileiro – CBC passou a fazer parte do sistema nacional do esporte, pela nova legislação esportiva conhecida como Nova Lei Pelé. A entidade recebe via Ministério do Esporte, 0,5% dos recursos das loterias da Caixa Econômica Federal.
O CBC coordena a distribuição dos recursos públicos única e exclusivamente para a formação de atletas olímpicos e paralímpicos nos clubes esportivos sociais.
Para participar do processo de seleção, os clubes montam projetos de acordo com o edital de chamamento divulgado pelo CBC e, se aprovado, recebem o dinheiro.
Quanto aos projetos, a diretoria técnica é responsável por todas as fases da descentralização, desde a proposta de editais e suas fases para classificação na sequência, como também todas as fases do convênio – celebração, acompanhamento, fiscalização e prestação de contas.
No Brasil, são os clubes os responsáveis pela formação de atletas de ponta.
Na Olimpíada de Pequim, em 2008, dos atletas brasileiros que participaram 77% eram de clubes. Em Londres, em 2012, esse número subiu para 87%. Além disso, o clube é local de relações sociais, culturais, recreativas, de lazer e educativas.
Matéria publicada no Portal SEGS