Projeto RCP: importância de agir em casos de parada cardíaca

11 de novembro de 2016 ● POR

Por Pedro Cunacia:
Uma situação que pode levar à morte em alguns segundos, uma vez que seu coração passa a bater lentamente, de maneira insuficiente. Essa é a parada cardíaca. No Brasil, são mais de 200 mil casos por ano de infarto, enquanto nos últimos cinco anos houve um aumento de 5% para 12% no índice de parada cardíaca em jovens. Pensando nesse contexto, em alguns lugares como o Rio de Janeiro, por exemplo, o professor é obrigado a fazer o curso de BLS (Basic Life Suport) – instrução de ressuscitação cardio pulmonar.
A PCR (parada cardiorrespiratória), por ser uma manifestação mais frequentemente pré-hospitalar (em casa, nas ruas, na escola…) e, como consequência, são os leigos que na grande maioria das vezes presenciam primeiramente uma vítima de PCR, a educação da população geral pode reduzir a mortalidade ao ajudar as pessoas a identificar a situação de emergência e a prestar os primeiros socorros.
Em muitos casos de PCR, as testemunhas iniciais ou únicas pessoas disponíveis para socorrer imediatamente um familiar com parada cardíaca são, em grande parte, crianças ou adolescentes que não sabem o que fazer. A criança ou o adolescente devidamente treinado, por meio da repetição prática das condutas básicas, será capaz de aplicar o conhecimento adequado, de modo a contribuir com a vida do próximo.
A partir disso, o objetivo do projeto Treinamento de Ressuscitação Cardiopulmonar para crianças e adolescentes: Habilidade que Salva Vidas é promover o treinamento em RCP básica para crianças e adolescentes das escolas públicas do ensino fundamental ou médio na cidade de São Paulo, durante horário pré-determinado pela direção da escola.
As turmas são compostas por no máximo 15 alunos, que são treinados por um período de 120 minutos.
Toda a sequência de atendimento de uma vítima de PCR é aplicada: desde o reconhecimento, solicitação de ajuda, aplicação das compressões torácicas e ventilação artificial e uso do Desfibrilador Externo Automático (DEA).
Professor de Educação Física e especializado no curso de BLS, além de trabalhar com musculação e avaliação física, Lillo ressalta a importância do projeto: “Uma criança acima de 10 anos já tem condições de entender como é feito o processo do (dea) – desfibrilador externo automático e, em muitos casos, o adulto está com uma criança junto também”.
Ao ser perguntado sobre ter feito alguma intervenção antes, ele respondeu: “Já tive a oportunidade de salvar a vida de um senhor de 62 anos, que ao sofrer a parada cardíaca iria falecer se não tivesse utilizado o desfibrilador. Foram 5 choques para reanimar ele. Se tivesse que esperar o atendimento médico, provavelmente o senhor não iria aguentar”.
Veja o que as crianças disseram sobre o projeto:
1) Eu sou grata pelo conhecimento passado e acredito que este curso deveria ser realizado em todas as escolas. Pois, assim, por conhecimento de alguns, muitos são salvos
2) Achei o curso super importante para minha vida, porque poderei utilizar algum dia em pessoas desconhecidas, familiares ou até amigos que sofram uma parada cardíaca
3) O curso foi muito interessante, pois aprendi muitas coisas que eu não sabia. A médica explicou muito bem e tirou todas as dúvidas, não só as minhas, como de todos
4) O curso foi muito bom e muito útil para o nosso aprendizado em salvar vidas
5) O curso foi bom, porque aprendi a lidar com uma situação de risco e fazer com que tudo acabe bem. A RCP é fácil de fazer. Basta fazer 30 compressões torácicas e 2 ventilações de um segundo cada uma. Um pequeno gesto, pode salvar vidas
6) O curso foi bem proveitoso, aprendi muito com ele, pois entrei sem saber absolutamente nada e saí já podendo salvar vidas. Então valeu cada minuto
Clique aqui e acompanhe o evento que reuniu 140 alunos que ganharam o certificado de estarem aptos para agir em um caso de parada cardíaca. Foram quase 4 meses de treinamento.


(Professor Lillo, formado em Educação Física e especializado no curso de BLS –
professorlillo@gmail.com
(Coordenadora: Dra. Elizabete Silva dos Santos –
elizabsantos43@gmail.com )