Maioria dos adolescentes tira dúvidas de saúde na internet

09 de julho de 2015 ● POR

Leonardo Ambrosio 7 de julho de 2015 Biologia, Curiosidades, Noticias, Outros assuntos.

 

Entre todos os tipos de mídias, a Internet é a principal fonte de informações sobre saúde para adolescentes, ultrapassando livros, televisão, rádio, jornais e revistas, revelou a pesquisa. Entretanto, apesar da maioria dos adolescentes buscarem informações na internet, eles não a consideram a fonte mais importante. Os pais continuam sendo a fonte mais importante de informações sobre saúde. Quando perguntados sobre quais fontes eles utilizam para buscar “muitas informações” sobre saúde, mais da metade (55%) respondeu com “meus pais”, enquanto 32% disse “aulas sobre saúde na escola” e 29% disse “provedores de serviços médicos”. A internet apareceu em quarto lugar, com 25% das respostas.

Adolescentes

No estudo, pesquisadores entrevistaram 1156 estadunidenses adolescentes de idades entre 13 e 18 durante o final de 2014 e início de 2015.

Mais da metade dos adolescentes entrevistados (53%) disse que eram mais propensos a utilizar a Internet para manter uma boa saúde do que checar sintomas ou diagnósticos (33%). Os jovens também disseram utilizar a rede internacional de dados para buscar informações para seus amigos e familiares (27%). Além disso, 13% dos jovens afirmaram utilizar a web para pesquisar sobre tópicos que se sentiam desconfortáveis em tratar com seus pais.

Cerca de um terço (32%) disse que já havia alterado alguns hábitos, como alimentação mais saudável e exercícios por conta de informações adquiridas na internet.

O “top 5″ dos assuntos pesquisados era: exercícios físicos (42%), dietas e nutrição (36%), estresse e ansiedade (19%), DST’s (18%) e puberdade (18%).

Os resultados do estudo foram apresentados neste dia 2 de junho em uma conferência na capital dos Estados Unidos, Washington.

Ainda que o resultado foque em uma geração de adolescentes que cresceu com a Internet e está confortável com a tecnologia, Ellen Wartella, principal autora do estudo e professora na Northwestern University, alerta que é importante que educadores e outros adultos ajudem os adolescentes a “afiar” suas habilidades auto didáticas na internet.

“Metade dos adolescentes que utilizam ferramentas de pesquisa online para buscar informações de saúde dizem que costumam clicar na primeira opção oferecida. Nós precisamos focar no aprimoramento da auto didática online, para que eles possam selecionar as melhores informações”, disse Wartella.

Matéria publicada no site Climatologia Geográfica