Pesquisa apresenta plano para atuação de professores de EF no Ensino Fundamental

16 de janeiro de 2018 ● POR Por Redação

A Educação Física pode ser entendida a partir de três perspectivas: componente curricular presente na Educação Básica, profissão caracterizada por cursos de graduação em Instituições de Ensino Superior e área em que estudos científicos são desenvolvidos. Esses três entendimentos têm relações entre si, pois os professores que lecionam o componente curricular são licenciados em cursos supostamente fundamentados nas pesquisas científicas desenvolvidas na área de Educação Física.

Durante a formação inicial desses professores são elaborados os conhecimentos que devem subsidiar sua intervenção nas escolas. A elaboração de conhecimentos tende a ser na forma de conceitos científicos, de atitudes frente a situações do processo de ensino e aprendizagem escolar, e de procedimentos vivenciados ao longo da graduação. Nesse último caso, as vivências propostas nos cursos de licenciatura devem permitir a elaboração de conhecimentos de natureza procedimental, que contribuam para a docência.

É esse justamente o problema formulado pela presente pesquisa: se em Educação Física há várias possibilidades de entendimento, como é possível integrar conhecimentos coerentemente nas aulas? A busca por respostas a essa questão é diretriz básica deste estudo, sendo seu objetivo principal apresentar uma proposta para fundamentar a intervenção docente no componente curricular Educação Física, desde a 5a. até a 8a. série do Ensino Fundamental.

Como a Educação Física mantém relações com diversos campos científicos, tratamos de analisar as principais perspectivas nessa área. Identificamos cinco discursos de pretensão científica, os quais defendem diferentes compreensões para associar a Educação Física às Ciências: Cinesiologia, Ciência da Motricidade Humana, Ciências do Esporte, Cultura Corporal de Movimento e Aptidão Física relacionada à Saúde. A pesquisa verificou que, a partir dessas perspectivas, diferentes propostas foram elaboradas para contemplar a intervenção profissional em Educação Física.

As tendências voltadas à Educação Básica foram as analisadas, pois poderiam contribuir para a resposta do problema da pesquisa; nesse âmbito, foram identificadas várias propostas para a Educação Física Escolar. Cada uma delas consistiu em uma forma de aproximação do componente curricular às áreas de estudos científicos. Desse modo, foi necessário investigar, embora de modo não exaustivo, as proposições teórico-metodológicas para a Educação Física Escolar que surgiram a partir da década de 80 – que ficaram posteriormente conhecidas como “abordagens”, dado o quadro classificatório proposto por DARIDO (1998, 2003).

Foram consideradas as seguintes abordagens: Humanista, Desenvolvimentista, Progressista, Construtivista, Sistêmica, Crítico-Superadora, Crítico-Emancipatória, Estudos da Saúde, e Estudos Cinesiológicos, além dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Educação Física. As duas últimas permitiram a identificação de uma tendência de aproximação entre as propostas. Isso foi um indício de que a solução para o problema de pesquisa pudesse residir nas similaridades entre as diferentes perspectivas. A partir dessa constatação, os pesquisadores procuraram organizar uma proposta para a Educação Física Escolar que permitisse uma aproximação coerente entre os conhecimentos já elaborados pelas áreas de estudos e apresentados na forma das abordagens. Por fim, a grande preocupação dos pesquisadores foi, sobretudo, propor uma concepção que permitisse que a sistematização das aulas fosse flexível em relação aos princípios curriculares.

Resumo

O principal objetivo desta pesquisa é apresentar e analisar uma proposta para fundamentar a intervenção de professores de Educação Física da 5a. à 8a. série do Ensino Fundamental. Foram revisadas criticamente as propostas anteriormente elaboradas na área, especialmente durante as duas últimas décadas do Século XX. Considerou-se, com base nesta revisão, que uma aproximação entre as tendências analisadas é condição necessária para uma melhor compreensão da Educação Física Escolar, porque os professores podem utilizar diversos elementos constitutivos para solucionar problemas cotidianos. Neste sentido, os Parâmetros Curriculares Nacionais para a área de Educação Física constituíram-se em uma abordagem coerente em relação à possibilidade de aproximação entre as tendências. Entretanto, seus princípios curriculares, particularmente seus conteúdos, foram limitados na abrangência, uma vez que as relações estabelecidas entre as áreas de estudos científicos – Cinesiologia, Ciência da Motricidade Humana, Cultura Corporal de Movimento, Ciências do Esporte e Aptidão Física relacionada à Saúde – e a proposta de intervenção foram precárias. Metodologicamente, o estudo fundamentou-se na hermenêutica e epistemologia para investigar a possibilidade de integração entre unidades temáticas de conteúdos. A convergência entre áreas de estudos científicos e abordagens para a Educação Física escolar pôde ser entendida como um conjunto de elementos semelhantes: princípios curriculares, axiológicos e teleológicos, que conduziriam a um recuo epistemológico e uma problemática comum.

Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui: http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16678/18391

Autores: Luiz SANCHES NETO; Mauro BETTI.

Publicação: Rev. bras. Educ. Fís. Esp., São Paulo, v.22, n.1, p.5-23, jan./mar. 2008