Educação Física para o desenvolvimento de crianças e adolescentes

06 de agosto de 2014 ● POR Redação

Saúde e bem-estar são temas cada vez mais evidentes na rotina das pessoas. Os pais já mostram a preocupação com uma vida mais saudável de seus filhos e buscam alternativas para adotar hábitos que possam prevenir doenças. Mas nem todo mundo se dá conta de que uma simples disciplina na escola pode ajudar e muito na rotina dos pequenos.

As aulas de educação física, que por muito tempo foram sinônimos de lazer, devem ser encaradas com uma atividade para incentivar as crianças a se movimentarem e praticarem exercícios físicos que são grandes aliados no combate a doenças relacionadas ao sedentarismo, como obesidade, diabetes e problemas cardíacos. Além disso, a disciplina é essencial para auxiliar o desenvolvimento motor das crianças. Por isso, é fundamental que as escolas possuam profissionais capacitados, que consigam planejar aulas que aliem teoria e prática e, despertem o prazer pela atividade física.

A Uniasselvi Pólo Florianópolis é um dos centros universitários que apresenta essa preocupação, através do novo curso de licenciatura em Educação Física à distância que possui alguns diferenciais para que os professores aprendam e tenham condições necessárias para poder transmitir seus conhecimentos. A coordenadora do curso, Meike Marli Schubert, explica que o envolvimento e o estímulo para a aprendizagem da disciplina está na vivência prática do movimento pelo aluno, seja esta, através do exercício, da atividade lúdica, do jogo, das brincadeiras e outros. “Quando o aluno realiza uma atividade prática proposta na aula de educação física, é o momento em que o professor estará transmitindo efetivamente a teoria para a prática, e que se complementa, pelas explicações e comentários que decorrem ao longo da aula, no qual o professor é mediador.”

Segundo Schubert, quando isso não acontece, a ideia de que educação física é somente lazer é reforçada. Isso ocorre porque ainda existem professores que não se dedicam ao planejamento e metodologia de aula e tornam a atividade um passatempo com bola. “O lazer e a recreação fazem parte do conteúdo curricular, inclusive no nosso curso temos a disciplina jogos, brincadeiras e brinquedos, visto o potencial deste conteúdo no processo de aprendizagem das crianças; no entanto, deve ser trabalhada com responsabilidade”, comenta a coordenadora.

A aula de educação física é o momento de praticar a saúde e aprender um pouco sobre o universo esportivo. Os esportes devem ser ensinados na escola, respeitando a metodologia, fundamentos, regras, aspectos técnicos e táticos. “Vale ressaltar que para crianças e adolescentes o objetivo da disciplina é a promoção do esporte com todos os benefícios inerentes aos que o praticam, e nesse caso, sem a exigência  da perfeição do movimento técnico, pois este será necessário apenas aos futuros atletas”, explica Schubert.

Licenciatura em Educação Física EAD – Uniasselvi Pólo Florianópolis

Os formados neste curso podem atuar na docência na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e Ensino Profissional, em instituições públicas ou privadas. Os profissionais também poderão atuar na assessoria, planejamento, execução e avaliação dos componentes curriculares em Educação Física escolar, como também elaborar programas de ensino para séries, níveis ou ciclos. Outra possibilidade é a atuação na área da pesquisa científica no campo da Educação.

A duração do curso é de três anos e meio e os encontros são semanais, com aulas expositivas e também práticas. Este é um curso em nível superior, com aulas práticas em clubes e quadras poliesportivas. Entre as ações previstas no currículo, estão o Estágio Supervisionado e o Seminário de Práticas, bem como Atividades Acadêmico-Científico-Culturais. 

Os acadêmicos do curso serão conduzidos nas aulas por um tutor externo, que seguirá o modelo EAD Uniasselvi, motivando os acadêmicos ao longo do processo ensino-aprendizagem. O centro universitário pretende formar profissionais comprometidos com a missão de educador, que buscam superar dificuldades diárias, estimulado a um constante aperfeiçoamento de seu trabalho.  Além disso, diante da realidade em que o sedentarismo está cada vez mais comum na rotina dos pequenos, que ocupam grande parte de seu tempo em frente ao computador ou vídeo-game, a coordenação do curso motiva e apresenta alternativas para que os professores inovem nas atividades propostas. A inclusão é outro ponto que merece ser destacado no curso. São duas disciplinas que tratam exclusivamente deste tema: educação inclusiva e língua brasileira de sinais, para atender melhor essa demanda crescente nas escolas. 

Matéria publicada pelo site Diário Catarinense