Polêmicas esportivas: o que pensar sobre as emoções e lesões da Copa?

09 de julho de 2014 ● POR

O que traz mais emoção esportiva, Campeonato Brasileiro ou Copa do Mundo? Pelas reações das pessoas daria para indicar o mais emocionante? 

Certamente é difícil, pois temos muitas variáveis para concluir isso. Argentinos, Chilenos e Colombianos acompanharam suas seleções quase que religiosamente, principalmente ‘Los hermanos del Sur’, mas as nossas equipes de times regionais são, de longe, as mais prodigas em invadir campos adversários.

Seja qual for o campeonato que mais influencia você, esta Copa do Mundo no Brasil inegavelmente nos deixa um legado de sentimentos e aprendizados.

Emoção

A emoção sobre os jovens jogadores foi e será sempre terrível. Segundo uma pesquisa científica internacional feita para a FIFA, o time que joga em casa, por este fato, já sai com uma chance de vitória 10% maior do que o adversário. Além dessa, outras várias cobranças emocionais estão presentes. No caso da Copa, por exemplo, além da obrigação de vencer ou vencer, existia a pressão da imagem mundial do nosso futebol, que deveria ser mantida a qualquer preço. Afinal, como justificar os investimentos e prováveis atos de corrupções, que consumiram uma gigante soma de recursos, e que poucos acreditam que podem ser recuperadas ou que tenham tido uma boa destinação. A pressão pela qualidade perfeita dos nossos garotos, pelo erro zero, pelo folego inesgotável e por muita, mas muita garra desenhou o que querem dos nossos atletas. Imaginem quanto sofreram de emoções.

Saúde

Até a última terça-feira, antes do jogo das quartas de final, ‘apenas’ cinco jogadores tiveram que passar pelo hospital para diagnóstico e tratamento das lesões ocorridas nos jogos anteriores. Da população, o que se soube pela imprensa foram duas mortes nos estádios, uma por infarto e outra por ruptura de aneurisma da Aorta abdominal. Os torcedores eram doentes prévios que foram aos jogos.

A nossa pesquisa “Coração do Torcedor” está na fase de recebimento e em tabulação dos milhares de questionários que estamos recebendo dos nove Prontos Socorros do Brasil associados nessa pesquisa ao Instituto Dante Pazzanese e com a Sociedade Brasileira de Cardiologia – DERC – Departamento de Exercícios e Esportes. É uma beleza o que o coração suporta. Todas as formas possíveis de atingi-lo foram utilizadas e, se deram certo ou não, em breve veremos nos resultados dessa pesquisa. Os abusos alcoólicos, alimentares e físicos eram esperados e ocorreram, mas a população se portou de modo muito cativante tanto para com o turista estrangeiro como para o nosso conterrâneo.

Legado da Copa

Sobre isso não sei exatamente o que pensar. Sentimento que provavelmente compartilho com muitos. Desejamos que se punam os erros e as “falcatruas”, que nos devolvam em benfeitorias o que se gastou e que venham os Jogos Olímpicos sem tanta desconfiança e com uma emoção abaixo do que se esperava.

Matéria publicada pelo site Globo.com