Revezamento da tocha olímpica: conheça os programas de seleção de condutores

17 de setembro de 2015 ● POR

Três empresas patrocinadoras têm processos em aberto, e o Comitê Rio 2016 deve anunciar seu programa até o fim deste mês. Saiba detalhes e como se inscrever

As Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, terão, ao todo, 12 mil condutores para o revezamento da tocha olímpica. A grande maioria deles sairá de um processo seletivo comandado pelo Comitê Rio 2016, que deverá ser lançado até o fim deste mês (é possível se cadastrar no site oficial para ser avisado sobre a abertura do programa). A outra parte vem de campanhas de três empresas patrocinadoras dos Jogos Olímpicos, que já estão abertas.

A tocha será acesa em Olimpia, na Grécia, berço dos Jogos da Antiguidade. Ela ficará uma semana passando por cidades do país até chegar a Atenas, de onde embarca para o Brasil. Já no país das Olimpíadas, passará por mais de 300 cidades brasileiras, em trajetos por terra e de avião (sendo que 83 já foram anunciadas e, até o fim do ano, o trajeto completo será divulgado). O revezamento termina no dia 5 de agosto, na Cerimônia de Abertura, no Maracanã, dando início aos Jogos Olímpicos de 2016.

Confira abaixo os detalhes dos programas dos três patrocinadores do revezamento:

1) “Quem se atreve”

A montadora Nissan criou uma campanha chamada “Quem se atreve”. A ideia é que o interessado envie o relato de sua história de vida, mostrando o motivo pelo qual se considera “atrevido”, como, por exemplo: transformou a comunidade em que vive com alguma ação positiva, abriu uma ONG que auxilia pessoas carentes, desenvolveu e luta por uma causa justa a favor de sua comunidade etc. Serão 1,2 mil pessoas escolhidas pela marca.

– A gente tem um posicionamento de marca que é “quem se atreve”. É um pouco a nossa essência com uma pegada brasileira. Procuramos pessoas que representam essa criatividade brasileira, esse atrevimento, que faz mudar a vida dela e a das pessoas que estão em volta. E que mostrem também esse calor humano do brasileiro – explicou Eva Ng Kon Tia, porta-voz da Nissan no Brasil.

O atrevimento, no caso, tem o sentido de “arrojo, vontade, genuína postura do brasileiro de fazer mais e melhor”, um sentimento que se mistura com o espírito de superação e se alinha com os ideais olímpicos e paralímpicos.

O concurso começou no dia 17 de julho, e os interessados podem enviar suas inscrições até 14 de outubro. No dia 3 de novembro, serão divulgados os nomes dos selecionados. Serão elegíveis a participar como indicados do revezamento da tocha olímpica os interessados que forem pessoa física com idade a partir de 12 anos. Os menores de 18, contudo, terão de ser assistidos por seus responsáveis legais caso sejam escolhidos.

Cada interessado só pode enviar uma inscrição, mas ela pode ser feita de três formas: o envio de um vídeo em qualquer formato através de funcionalidade no site oficial ou postado no Youtube, com tamanho até 20MB, e uma breve descrição da história; um texto sem paginação de até 1000 caracteres; ou uma foto em qualquer formato com tamanho total de até 20MB e uma breve descrição da história em até 1000 caracteres. Algumas dessas histórias serão contadas pela marca em seu site oficial.

– O projeto tem duas partes. A primeira é de recrutamento online. Todos os brasileiros podem se inscrever e contar suas histórias. A segunda parte é a editorial, que representa os brasileiros atrevidos. A gente queria fazer um revezamento de histórias de brasileiros. A gente tem cinco equipes correndo o Brasil e capturando esse conteúdo (serão cerca de 60 histórias gravadas por essa equipe) – concluiu a porta-voz da montadora.

2) “Condutores BRA”

O banco Bradesco criou um programa bastante diferente dos outros patrocinadores do revezamento da tocha olímpica. Ele funciona com indicações, ou seja, o interessado precisa ser inscrito por um terceiro na campanha. É preciso que o indicado tenha uma história verídica e comprovável, que demonstre claramente uma ação de transformação pessoal ou para uma comunidade a partir de ações, comportamentos ou atitudes do candidato, além de ter relação direta com os valores olímpicos de amizade, respeito e excelência. Elas serão divulgadas, ao longo do tempo, no site oficial da campanha.

– Estamos projetando umas 2 mil histórias e queremos divulgá-las para que as pessoas entendam e reconheçam pessoas especiais que possam trazer ainda mais pessoas especiais. Vamos dar brilho a quem inspira e faz a diferença na sociedade. Teremos atletas também, mas não diretamente por seus resultados esportivos, sim pelos valores e por quanto inspiram em sua comunidade – explicou Jorge Nasser, diretor de marketing do Bradesco.

A campanha começou no dia 29 de julho e vai até 14 de outubro. Até 15 de fevereiro, o Comitê Rio 2016 irá aprovar ou recusar as indicações da instituição bancária. Em março do ano que vem, os nomes escolhidos serão divulgados oficialmente.

– Não é simplesmente a indicação de condutores. Precisávamos dar luz a pessoas que fazem a diferença em sua comunidade, que acreditam que é possível, através da união de um grande esforço e transformação pelo esporte, fazer a diferença nesse momento. Nossa chamada é: “convidamos a dar luz a quem faz diferença em suas comunidades”. São histórias que inspirem outros brasileiros a fazerem coisas diferentes – acrescentou Nasser.

O conteúdo inscrito precisa ser contado em terceira pessoa pelo indicador, e o candidato a condutor deverá ser pessoa física, residente e domiciliada no Brasil, com idade igual ou superior a 12 anos, e estar regularmente inscrito no Cadastro de Pessoa Física (CPF). Caso o escolhido seja menor de 18 anos, deverá ser assistido por seu responsável legal.

A história deverá ser narrada em texto com, no mínimo 50 e, no máximo, 1000 caracteres, acompanhado opcionalmente por vídeo de até 2MB ou foto de até 500KB. Ela deverá ter começo (descrição inicial do ambiente, situação, família, comunidade e pessoas envolvidas); meio (como o candidato interferiu e transformou as pessoas inseridas nesses ambientes, indicando quais foram suas ações e sua importâncias para os envolvidos, e o tempo que decorreu até a transformação constatada); e fim (indicação da abrangência da ação e das pessoas afetadas, bem como dos resultados da ação do candidato à época da transformação e os reflexos nos dias atuais).

Até mesmo o bicampeão olímpico Torben Grael, que foi indicado pela própria instituição bancária ao programa, já fez sua indicação. Ele escolheu o marinheiro Valmir das Neves, de 75 anos.

– O Bradesco me indicou para conduzir a tocha olímpica e pediu para eu indicar uma pessoa que se identificasse com os ideais olímpicos de amizade, respeito e tudo que os Jogos Olímpicos representam. Então, eu pensei no nosso amigo Valmir – falou Torben.
A indicação de Valmir foi no dia 29 de agosto, seu aniversário. Nascido e criado no Morro do Cavalão, em Niterói, Valmir trabalha no Sailing (Rio Yacht Club) desde os 19 anos. É pai de três filhos e tem seis netos. Atualmente, ele é o responsável pela garagem náutica. Ele conheceu a família Schmidt Grael desde o patriarca Preben Schmidt, um dos precursores da vela no Brasil, que levou a paixão pelo esporte aos filhos Ingrid, Margarete, Axel e Erik. Preben é avô dos medalhistas olímpicos Torben e Lars Grael.

– Só tenho que agradecer pela homenagem. Minha vida foi toda no clube. A família Grael sempre gostou de mim, desde o avô. E eu sempre fui dedicado a eles e aos sócios do clube – afirmou Valmir, conhecido como Lodão.
Confira mais informações e se inscreva no site oficial.CLIQUE AQUI!

3) #IssoÉOuro

No programa da Coca-Cola, a procura será por “indivíduos que sejam exemplo de calor humano, pessoas que tocaram a vida de outros e que personifiquem um espírito jovem e contagiante”. A todo, serão 1,1 mil condutores escolhidos através dessa campanha, com histórias que sejam “genuínas e inspiradoras, que contagiem o próximo (familiares, amigos e sociedade em geral) com um movimento que gere felicidade, compartilhando momentos de emoção, alegria e superação em suas vidas”.

A marca já anunciou alguns condutores, como o ex-jogador de vôlei e campeão olímpico de Atenas 2004, Nalbert; a carioca Lara Leite de Castro, primeira brasileira a conduzir a tocha olímpica, em Barcelona 1992; além dos jovens Jobson Junior, que ganhou um papel no comercial da campanha; e Gabriel Rocha, que tem paralisia cerebral e participa corrida e maratonas de rua, ajudado pelo pai Rodrigo (leia mais). O foco da marca são os jovens.

– Queremos incentivar os jovens brasileiros a terem um estilo de vida mais ativo. Boa parte da nossa campanha tem a ver com escolher jovens que tenham histórias inspiradoras, genuínas, relacionadas ao movimento, à atividade esportiva, à dança. Queremos, de alguma maneira, reconhecer estas pessoas durante o revezamento – detalha Flavio Camelier, vice-presidente da Coca-Cola para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

O candidato precisa ser residente e domiciliado no Brasil. Para se inscrever, é preciso acessar o site oficial da patrocinadora e apresentar sua história, através de um texto (até 1000 caracteres), foto (deverá somar até 3M, em JPEG ou GIF, em três opções de formato: simples, uma foto; montagem em mosaico de até cinco fotos; ou montagem em GIF com até três fotos); ou vídeo (nos formatos MPEG, WMV ou MOV, com o máximo de tempo de um minuto e até 250 MB). É permitido se autonomear ou indicar o nome de um terceiro.

O processo de seleção começou no dia 4 de agosto e vai até o dia 15 de outubro. A partir desse momento, a marca indica os seus candidatos para a avaliação do Comitê Rio 2016. Os nomes escolhidos serão divulgados no primeiro trimestre de 2016. Menores de 12 anos, assim como nas outras campanhas, não podem participar.

Além dos 1,1 mil condutores escolhidos através da campanha, a Coca-Cola vai ainda designar mais 1,3 mil pessoas para levarem a tocha olímpica no revezamento. Elas sairão de projetos patrocinados pela marca, como os Jogos Escolares da Juventude, as Paralimpíadas Escolares, o Festival das Escolas, o Prêmio Professor do Brasil e de outras ações.

Matéria publicada no site Globo Esporte