Perigos da poluição para quem se exercita na rua

20 de dezembro de 2016 ● POR Karina Dias

Quem tem o hábito de correr ou pedalar na ida e na volta do trabalho, ou seja, nos horários de pico dos congestionamentos, pode estar fazendo mais mal do que bem à saúde. É o que indica um novo estudo da Bélgica. Segundo os pesquisadores, apesar de todos os benefícios gerados pela atividade física, o elevado nível de poluição pode desencadear sérios problemas pulmonares.

A pesquisa foi feita com mais de 16.000 pessoas que foram internadas em um hospital na Bélgica entre 2009 e 2013 e que foram submetidas a um ecocardiograma para mostrar o fluxo sanguíneo do coração. Após comparar os resultados com os registros de poluição atmosférica, constatou-se que os pacientes tinham uma pior circulação nos dias em que a poluição estava mais elevada.

Em um segundo experimento, 10 voluntários saudáveis do sexo masculino foram expostos à poluição em uma câmara e tiveram suas funções pulmonares testadas em repouso e após tomarem uma droga que simula a função cardíaca durante o exercício.

Embora não tenha havido impacto durante o repouso, a circulação piorou quando o fármaco foi administrado. “Isso sugere que a poluição é mais prejudicial à circulação pulmonar durante o exercício”, explica Jean-Francois Argacha, cardiologista no Hospital Universitário de Bruxelas.

De acordo com os pesquisadores, a poluição faz com que os vasos sanguíneos nos pulmões se estreitem, impedindo que o oxigênio circule efetivamente pelo corpo. Isso danifica os pulmões e, com o tempo, pode levar à insuficiência cardíaca.

Para evitar esses danos à saúde, o conselho é procurar fazer atividade física em áreas verdes, como parques, e evitar regiões de grande aglomeração de veículos, principalmente nos horários de maior congestionamento, que são das 7h às 9h e das 17h às 20h.