Personal trainer, Gestão Esportiva ou Educação Física Escolar? Já decidiu o que fazer quando crescer?

13 de novembro de 2017 ● POR Alessandro Lucchetti

Com índices crescentes de audiência entre jovens estudantes e também em meio a profissionais recém-formados da área, o Portal da Educação Física decidiu aproveitar a oportunidade para fazer uma breve explanação sobre os rumos que podem ser seguidos por quem resolveu abraçar a profissão.

Para tanto conversamos com Ana Cristina Barreto, coordenadora e professora dos Cursos de Graduação e Pós Graduação do Centro Universitário Celso Lisboa e conselheira do CREF Rio.

A profissional frisa que o curso de Educação Física apresenta três possíveis trajetórias para os estudantes que encaram o vestibular. “O mercado de trabalho está crescendo, principalmente para os bacharéis com pendor para o empreendedorismo, como personal trainer. Nas mídias sociais e entre a sociedade científica é frequente a comprovação de que a prática regular de exercícios físicos funciona como estratégia não farmacológica na prevenção de doenças hipocinéticas (nota da redação: trata-se das chamadas doenças do homem moderno, contraídas em razão do estilo de vida mais urbano, com reduzida atividade física e alimentação pobre em nutrientes), o que aumenta a importância dos profissionais de Educação Física como membros de equipes multidisciplinares de saúde”.

As outras duas áreas que podem ser exploradas por esses profissionais são Gestão e Lazer e Esporte. “Essas áreas criam diferentes oportunidades de trabalho. Em se tratando de procura, a Licenciatura mostra nos últimos anos uma retração quando comparada ao curso de Bacharelado, mas continua com boa atratividade, principalmente em função da premissa de maior estabilidade que os concursos públicos para professor oferecem”.

O mais jovem desses segmentos, o de Gestão, tem apresentado um dinamismo interessante, sobretudo em grandes centros urbanos, como o Rio, embora seja possível observar um crescimento da demanda nacional. “Em função dos diversos eventos esportivos de pequeno, médio e de grande porte em várias áreas da cidade e,em atividades outdoor, principalmente, tais como Corridas de Rua, Circuitos, Esportes da Natureza, Futvôlei, Handbeach e Futebol de Areia, os profissionais podem atuar nesse novo nicho de mercado que ainda necessita de profissionais capacitados e com visão e formação em administração e marketing. Dessa forma, o profissional de Educação Física pode buscar especializações nas áreas de Administração, Gestão e Marketing de Negócios ou de Projetos para que possa melhor exercer sua função, apesar de na sua formação várias IES incluírem as áreas de conhecimento de Marketing Esportivo, Gestão de Negócios e Administração até como forma de conhecer, despertar e estimular os alunos a buscar novas oportunidades de empregabilidade”.

Por falar em Marketing e Gestão de Negócios, os jovens que aspiram às vantagens da atividade de Personal Trainer estão convidados a mergulhar nessas áreas de conhecimento. “Os graduandos que optarem por esse caminho devem buscar aumentar seus conhecimentos técnicos nas áreas de Anatomia Humana, Fisiologia do Exercício, Treinamento Desportivo e Biomecânica, associados aos conhecimentos das áreas de Marketing e Gestão de Negócios, uma vez que sua atuação permite considerá-lo como um empreendedor. Serão suas ações que permitirão que ele mantenha e aumente sua cartela de clientes. De forma geral, as matrizes curriculares apresentam, de forma isolada e/ou de forma interdisciplinar, ao longo dos anos de formação do curso de Bacharel em Educação Física, disciplinas que desenvolvem as competências e habilidades básicas para que o formando possa atuar de forma eficiente como Personal Trainer”.

A mais tradicional das ocupações dos profissionais de Educação Física, a de professor em escolas, está longe da mesmice, segundo a coordenadora do Centro Universitário Celso Lisboa. “O profissional deve se adaptar à nova realidade e às condutas dos alunos de hoje. É necessário buscar adaptação ao uso da tecnologia (smartphones, por exemplo) e procurar novas estratégias de ensino-aprendizagem, tendo em mente que o aluno hoje em dia difere bastante dos de outrora, e que as informações, necessidades, atitudes e conhecimentos estão se alterando numa velocidade rápida demais.Cabe ao profissional preparar-se, estudar, inovar e buscar ferramentas novas e eficientes, que instiguem esse aluno a se motivar para a prática da Educação Física Escolar, matéria da Escola que é a preferida e que tem uma relevância fundamental na vida do educando”.