Back Ciência Canais Biomecânica A importância da atividade física para prevenir lesões e dores nos joelhos

A importância da atividade física para prevenir lesões e dores nos joelhos

a-importancia-da-atividade-fisica-para-prevenir-lesoes-e-dores-nos-joelhos
Falta de alongamento, desequilíbrio muscular, grandes impactos e sobrecarga nos treinos são algumas causas das dores.


Falta de alongamento, desequilíbrio muscular, grandes impactos e sobrecarga nos treinos são algumas causas das dores.
Responsáveis pelo movimento e a sustentação do corpo, os joelhos são utilizados em tempo integral, o que os deixam mais expostos e vulneráveis às lesões dos mais diversos tipos. A saúde dessa engrenagem natural não é prioridade para boa parte dos indivíduos por, supostamente, afetarem muito pouco o restante do organismo.

O que as pessoas se esquecem, entretanto, é que simples atividades do dia a dia podem contribuir para o desgaste prematuro dessas articulações: durante uma caminhada, cada passo gera um impacto equivalente a duas vezes o peso do corpo sobre os joelhos. Durante uma corrida, então, esse impacto aumenta seis vezes mais.

Estudo realizado pela consultoria científica Exponent, nos Estados Unidos, mostra que a realidade não é essa. De acordo com a pesquisa, o conjunto de ossos, ligamentos e cartilagens dos joelhos está intimamente relacionado à nossa independência, sendo que indivíduos que tratam adequadamente as lesões nos joelhos alcançam taxa de sobrevida de 50%.

Entenda as causas das lesões e dores nos joelhos

De maneira geral, os problemas nos joelhos podem ser divididos em dois tipos: os estruturais e a artrose.
Nos problemas estruturais, um ou mais componentes que constituem o joelho apresentam algum tipo de deformidade, lesão ou desgaste, que podem ser congênitos, como defeitos das rótulas, ou instalar-se posteriormente como, por exemplo, ruptura ou degeneração de meniscos e cartilagens.

A parte óssea dos joelhos é constituída basicamente pelo fêmur, grande osso da coxa que possui base arredondada composta por duas saliências, os côndilos. O que dá força para a articulação é a patela, pequena estrutura situada entre os côndilos. A articulação também é composta por ligamentos, meniscos e cartilagem que, em situações de sobrecarga, se desidrata, rompendo e expondo o osso abaixo dela. O desgaste progressivo da região cartilaginosa, ao longo dos anos, pode provocar a osteoartrose, que é a doença articular degenerativa.

O médico especialista em saúde esportiva e cirurgia de joelho, Dr. Caio D’Elia, explica: “As dores no joelho podem ter diversas origens, mas nos dias de hoje as alterações da cartilagem de revestimento articular são a principal fonte de dor. A cartilagem é um tecido que desempenha importante papel na absorção de impacto e diminuição do atrito. Apesar disso, possuem baixíssimo potencial de regeneração. Alterações neste tecido podem causar dor, inchaço articular, sensação de travamento ou instabilidade”. Nos casos de artrose, há uma inflamação da articulação, que também se desenvolve a partir de várias causas. O sintoma mais frequente, além da dor aguda, é o inchaço. Nessas situações, após diagnóstico preciso, o ideal é procurar um reumatologista especialista em articulações dos membros inferiores.

Dores e lesões nos joelhos também estão associados ao uso excessivo dos membros. Dr. Caio afirma que atividades comuns do dia a dia podem afetar a articulação: “Pessoas que têm o hábito de se sentar com os joelhos excessivamente dobrados, em um ângulo maior que 90 graus, sobre os pés ou com as pernas cruzadas, estão mais sujeitas à chamada ‘síndrome da dor anterior do joelho’ em função do aumento da pressão da patela sobre o fêmur. Isto pode eventualmente favorecer o aparecimento de lesões de cartilagem na patela, principalmente em não praticantes regulares de atividade física. Sempre que houver dor, mesmo no caso da dor crônica, que reaparece sempre após determinado movimento ou circunstância, o ideal é que se procure a orientação de um médico”, orienta.

A dor crônica raramente desaparece sem tratamento e nem sempre é atribuível a um incidente específico. Na maioria dos casos, é o resultado de várias causas ou condições, e requer diferentes exames para diagnóstico e tratamento precisos. O especialista explica: “Hoje diversas áreas da medicina atuam juntas no tratamento e prevenção de lesões do sistema musculoesquelético: ortopedia, reumatologia, fisiatria e medicina do esporte. É importante esta avaliação inicial a fim de se detectar a existência ou não de alguma alteração estrutural que justifique o processo doloroso. Isso auxiliará no tratamento e orientação adequada do programa de atividade física, muito benéfico para prevenção de lesões nessa área”.
Ainda de acordo com especialista, o processo cirúrgico só é indicado em casos extremos: “Hoje existem inúmeras opções de tratamento não cirúrgico, com excelentes resultados. As cirurgias são reservadas aos casos mais graves ou na presença de deformidades severas”, alerta.

Atividade física como prevenção

A prática regular de atividades físicas é uma das opções mais significativas para prevenir e melhorar as lesões e dores nos joelhos, pois a rotina de treinos permite o aumento da flexibilidade. Todas as articulações do corpo são sustentadas pela musculatura que, fortalecida pelos exercícios corretos, evitarão lesões e traumas. Outro ponto importante é a produção da substância beta-endorfina, cuja estrutura é similar à morfina, responsável pelo alívio de dores e sensação de euforia e bem-estar pós-treino.

O preparador físico e diretor técnico da Move Up Sports, Rodrigo Assi, explica: ”Podemos evitar dores e lesões nos joelhos sempre que fortalecemos os músculos anteriores e posteriores da perna”. O alongamento antes e depois da realização de atividades físicas é essencial para manter a saúde dos joelhos. Alongar-se regularmente, além de relaxamento, traz uma série de outros benefícios ao corpo, como reduzir a tensão muscular, ajudar na coordenação, aumentar a flexibilidade, prevenir lesões e ativar a circulação.

Questões como obesidade e sobrepeso também prejudicam a saúde dessa importante articulação, alerta o Dr. Caio D’Elia: “A atividade física, quando realizada de forma leve à moderada, auxilia na manutenção da composição e peso corporal adequados, assim como auxiliam no controle do processo de sarcopenia (perda de massa magra). Sendo assim, é parte fundamental de qualquer programa de prevenção de lesões do sistema musculoesquelético”.

O especialista relaciona os esportes que mais sobrecarregam os joelhos: “A articulação dos joelhos é bem dimensionada. Sua arquitetura e função permite a execução de movimentos em três planos: horizontal, vertical e rotacional. Os esportes que mais demandam desta articulação são aqueles que envolvem movimentos de desaceleração, aterrissagem e mudança de direção. Estes são chamados de esportes acíclicos como o futebol, basquete, artes marciais, etc”.

Ainda de acordo com o especialista, a prática de atividade como fator preventivo auxilia a saúde dos joelhos na terceira idade: ”Chegar à terceira idade sem dores nos joelhos não é utopia. Hoje, sabemos que a genética desempenha um papel muito importante na evolução do desgaste articular. Sabemos também que pessoas com composição e peso corporal adequados, que praticam atividade física moderada de forma regular, e que apresentam boa condição muscular nos membros inferiores e quadris, estão menos sujeitas a apresentar quadros de dor relacionados ao processo de desgaste natural dos joelhos”.

Em contrapartida, praticar exercícios acima da capacidade física ou de maneira irregular pode causar as temidas lesões e dores, não somente nos joelhos, mas também na região da coluna e quadril, articulações que suportam maior peso e impactos repetitivos. Para evitá-las, é importante estabelecer uma rotina de exercícios sem sobrecarga e com reserva de um espaço pré-determinado para o descanso dos músculos e articulações. Este tipo de programação é denominado periodização do exercício e, em geral, é desenvolvido pelos personal-trainers e profissionais de Educação Física.

Rodrigo Assi aponta os principais diagnósticos do treino irregular: “Quem treina de maneira incorreta ou além do limite corporal tende a sofrer de lesões como condromalácia patelar e rompimento do ligamento cruzado anterior. Um dos pontos pelo qual identificamos que as lesões são pelo treino irregular é quando o próprio atleta sabe o ponto exato e a atividade que lhe causa dor. Quem não tem o hábito de praticar exercícios geralmente é acometido por estiramento e torções”, afirma o especialista.

Como aliviar a dor nos joelhos?

O mais importante é corrigir ou tratar a condição e a causa das dores com um especialista. Algumas dicas aplicáveis ao dia a dia podem auxiliar:

- Optar por calçados baixos e com bom sistema de amortecimento;
- Evitar ficar em pé por tempo prolongado;
- Ao dormir, colocar um travesseiro entre os joelhos;
- Fortalecer a musculatura dos joelhos com exercícios físicos orientados;
- Realizar alongamento antes e depois de se exercitar;
- Entre as atividades aeróbicas, optar por andar de bicicleta ou nadar;
- Correr em lugares planos;
- Procurar manter-se no peso ideal;
- Melhorar a postura;
- Evitar dobrar o joelho em um ângulo maior que 90º graus;
- Não sentar-se sobre as pernas e pés;
- Procurar sempre auxílio de um especialista.

Por Jornalismo Portal EF