Back Escola Canais Cotidiano Educação Física no Brasil

Educação Física no Brasil

Educação Física no Brasil
Em primeiro de setembro, comemorou-se o Dia do Profissional de Educação Física, data promulgada pel

Em primeiro de setembro, comemorou-se o Dia do Profissional de Educação Física, data promulgada pela Lei nº 9696 de 1998 que regulamentou a profissão em nosso País. Este ano marcou, portanto, 10 anos do importante marco histórico da Educação Física no Brasil, que estabeleceu como prerrogativa do Profissional de Educação Física a orientação, prescrição e dinamização das atividades físicas, desportivas e similares.
A Educação Física tem como missão maior a promoção da saúde e qualidade de vida de nossa sociedade, através da orientação e condução para a prática sistemática de atividades físicas e desportivas em todas as fases da vida, promovendo um estilo de vida ativo em contraponto ao sedentarismo dominante em nossa sociedade.
Com a realização dos Jogos Olímpicos de Pequim, o esporte esteve no foco das discussões, analisando as performances de nossos atletas e o desempenho do nosso País, dito aspirante à potência esportiva mundial. Diversos analistas apontaram para a necessidade de uma maior implementação do esporte nas aulas de Educação Física nas escolas, o que não deixa de ser realmente bom caminho para a massificação de modalidades esportivas.
Porém, não podemos esquecer que a Educação Física na escola é uma disciplina curricular que tem importante papel na contribuição para a formação integral das crianças e adolescentes, priorizando um futuro cidadão com estilo de vida ativo e saudável, consciente da importância da atividade física em toda a sua vida, o que é muito mais abrangente do que somente a prática esportiva, que em muitas vezes é seletiva por priorizar somente os mais dotados de capacidades e características físicas para o esporte.
Por isso, a Educação Física deve ser sempre inclusiva e aplicada a todas as pessoas, independente de suas limitações das capacidades e habilidades físicas e motoras. O exemplo maior se dará agora com a realização dos Jogos Paraolímpicos, em que a palavra de ordem é a superação de todos os limites e obstáculos.
Além da educação física escolar, das atividades em academias e das práticas esportivas em associações e clubes, o profissional de Educação Física tem hoje um amplo campo de atuação em todas as áreas de atividades cotidianas e laborais. Notadamente para os grupos de pessoas portadoras de necessidades especiais – deficientes físicos e mentais, idosos, diabéticos, cardiopatas, hipertensos, obesos – e outros que também necessitam e devem receber orientações para a prática de atividades físicas independente de suas condições.
Por esta demanda maior de atuação junto à sociedade, a oferta de cursos de formação em Educação Física tem aumentado substancialmente nas instituições de ensino superior no Brasil. Já são mais de 600 no País. E, além da necessidade da formação de nível superior, também se faz necessária a habilitação para o exercício profissional, que se dá através do registro nos Conselhos Federal e Regionais de Educação Física.
Atualmente, já são mais de 200 mil profissionais inscritos nos Conselhos, sendo cerca de 70 mil somente no Conselho Regional do Estado de São Paulo, o que deve levar o profissional a um constante aprimoramento de seus conhecimentos para o estabelecimento de competências visando um atendimento de qualidade à sociedade, bem como a manutenção e amplitude de seu campo de atuação profissional.
Roberto Saad
Diretor do Curso de Educação Física da Unifran