Back Esportes Canais Outras Modalidades Como previnir a dor nas pernas após as provas de corrida

Como previnir a dor nas pernas após as provas de corrida

  • PDF
Como previnir a dor nas pernas após as provas de corrida
Fortalecimento muscular e ritmo adequado durante corrida podem evitar cansaço físico e lesões nas p

Fortalecimento muscular e ritmo adequado durante corrida podem evitar cansaço físico e lesões nas pernas.
Depois dos dois meses de treino, chega o dia de controlar o fôlego para participar da prova tão esperada. Na concentração, minutos antes da largada, a vontade é de disparar na frente para superar a sua própria velocidade, conquistada pouco a pouco nos treinamentos planejados das semanas anteriores.
O sentimento positivo de superação do próprio tempo ao terminar a prova pode provocar aquela sensação de que a dose de esforço físico foi um pouco além do que o corpo previa. As pernas pesadas ou a dor acentuada em uma região específica, como panturrilha, podem deixar o corredor afastado dos treinos por dias ou até meses.
“Fiz fisioterapia por seis meses por conta de uma lesão no músculo da panturrilha, causado pelo excesso de esforço físico durante uma das primeiras corridas das quais participei. Apesar de treinar somente o total de 6 km por semana e não fazer musculação, fui imprudente ao ultrapassar os meus limites para terminar a prova de 10 km. A dor aguda na panturrilha me deixou afastada por seis meses das pistas de corrida”, relembrou a publicitária e corredora Cíntia Franciscato, 34.
A dor localiza, causada pela inflamação do músculo, pode ser uma lesão muscular. “A dor intensa em um lugar mais localizado da perna, o inchaço (edema) ou mancha roxa (derrame) pode ser sinal de que ocorreu alguma lesão durante a corrida”, explicou Ricardo Romani, médico do esporte e professor do Cemafe/ Unifesp.
Ao sentir uma dor semelhante a uma pontada ou mais focada em uma determinada região da perna, o corredor deve procurar imediatamente um médico.
O segundo tipo de dor pós-corrida é definido como cansaço nas pernas ou pernas pesadas. “Esse mal-estar também é causado pela sobrecarga muscular, que pode ocorrer por vários motivos: alimentação inadequada antes e depois da prova, falta de fortalecimento muscular e também quando o atleta troca a esteira pela rua, mudança que aumenta a freqüência cardíaca e o esforço mesmo se o corredor não exceder a velocidade”, enfatizou Romani.
O jornalista e corredor, Fábio Chiorino Mônaco, 27, teve que diminuir o ritmo pelo excesso de peso que sentiu nas pernas durante a corrida. “Sempre me preparei bem antes de correr, com exercícios de musculação, alongamento e aquecimento prévio, porém o clima quente castiga as minhas pernas durante a corrida. Durante a prova Santos Dumont, da qual participei em 2006, tive de desacelerar por causa de dores nas pernas e mal-estar. Como eu sou leve, peso 57 quilos, e também tenho a passada leve, parece que estou carregando um peso a mais”, afirmou.
Como evitar dor e cansaço nas pernas

O incomodo nas pernas é causado pela inflamação dos músculos. Geralmente são os gastrocmênio, a panturrilha e o quadríceps femural que ficam inflamados.
Para evitar a dor, o atleta deve treinar adequadamente para a evolução do circuito e não exceder demais o ritmo durante a corrida para que não ocorra a sobrecarga muscular. “O atleta deve seguir o seu feeling. E quando perceber que está começando a forçar demais, deve diminuir as passadas. Se ele fizer uso do freqüencímetro e manter-se dentro de seu ritmo, dificilmente sentirá dores no final do percurso”, garantiu Romani.
Tratamento para as pernas pesadas
Como a inflamação e a dor permanecem por 72 horas, o ideal é o atleta ficar sem fazer exercício físico forte durante o mesmo período de tempo. Esse processo de recuperação pode ser feito de duas maneiras. A primeira é por meio do processo de anti-inflamação física. “Nesse caso, ao sentir dor logo após a prova, o atleta deve fazer alongamento imediatamente, além da hidratação adequada e continuada. Vinte e quatro horas após a prova, o atleta deve repetir a série de alongamentos e fazer caminhada de 10 minutos para a recuperação ativa. Já sessões de imersão das pernas em gelo devem ser feitas sob a supervisão de um especialista ou fisioterapeuta”, recomendou o especialista Ricardo.
O segundo processo é chamado de anti-inflamação química e, deve ser feito com o uso de antiinflamatórios não hormonais, prescritos pelo seu médico. É possível diminuir a dor com o uso de analgésicos, como dipirona e paracetamol. Esses medicamentos devem ser ingeridos 24 horas após a prova.
Por Fátima Martin