Back Lutas Canais Outras Lutas Bike é transformada em mini-academia

Bike é transformada em mini-academia

Bike é transformada em mini-academia
Andar de bicicleta já é uma ótima atividade física. Imagine se, além de pedalar, for possível fazer outros exercícios so

Andar de bicicleta já é uma ótima atividade física. Imagine se, além de pedalar, for possível fazer outros exercícios sobre duas rodas. É o que imaginou e conseguiu materializar o operador de TV Luiz Ramos, 48 anos, morador no Jardim Ferraz em Bauru. Ele usou a criatividade e transformou uma bicicleta velha em uma ´mini-academia´.
A engenhoca criada por ele, com material reciclável, custou cerca de R$ 180,00 e exigiu dois meses de dedicação. "Isso aqui foi feito tudo com material reciclado, coisas adquiridas na Feira do Rolo, em ferro-velho e outros materiais que eu tinha no fundo do quintal de casa", conta. A base da mini-academia criada por Ramos é uma velha bicicleta, que ganhou suporte para os pesos e uma armação onde o usuário pode puxar peso.
Ramos frisa que nunca foi apaixonado por academia, mas o que o levou a criar a engenhoca foi a curiosidade. "Gosto de fazer caminhada, mas nunca pratiquei esse tipo de exercício que dá para fazer na minha mini-academia", revela.
Ele disse que a idéia não é ganhar dinheiro com suas invenções, mas sim abrir espaço para que pessoas comuns possam mostrar suas engenhocas, que muitas vezes ficam no fundo do quintal, sem divulgação. "Tenho vontade de reunir em Bauru e região os inventores e expor as coisas criadas por eles em um salão para que as pessoas possam conhecer", diz Ramos.
Até por isso, ele não se preocupou em patentear a sua criação. Mas disse que se alguém quiser comercializar o produto e levar a idéia para o mercado, ela está à disposição. "Se houver interesse de alguém, podemos negociar. Ou se alguém quiser um exemplar da mini-academia posso fazer outras", afirma.
Neste ano, Ramos já criou uma torre de 15 metros de altura com latinhas de refrigerantes vazias e outras várias miniaturas que ficaram expostas no Museu Municipal. "Peguei gosto por criar e vamos ver aonde as coisas vão dar", disse o inventor.
Avaliação
O professor de educação física Júnior Balestero, a pedido do Jornal da Cidade, conheceu a mini-academia criada sobre a bicicleta. Segundo ele, a idéia do inventor é válida, já que tudo o que é criado para melhorar a qualidade de vida das pessoas deve ser aplaudido.
"Agora, avaliando como um profissional de educação física, a mini-academia precisa de alguns ajustes que, se não forem feitos, podem prejudicar a saúde de quem utilizar a criação", explica Balestero.
Isso porque a mini-academia não segue as normas de ergonomia necessárias para um aparelho de exercícios físicos. "Seria necessário que o aparelho tivesse um sistema de regulagem, para uma fácil adaptação a cada pessoa que for se utilizar dele", orienta o professor.
"Dessa forma, ao invés de fazer quatro tipos de exercícios com um sistema de regulagem, o aparelho poderá ser utilizado para fazer outros exercícios", conclui. Ele ressaltou a necessidade de um profissional de educação física no acompanhamento de exercícios.