Back Você & EF Saúde e Bem Estar Doenças mais provocadas pelo estresse

Doenças mais provocadas pelo estresse

  • PDF
portal
Problemas de distração, diminuição do rendimento, falha de memória, cansaço, ganho ou perda de peso são sinais do estresse do cotidiano. Se você identificou algum desses sintomas, fique atento!


O estresse pode desencadear algumas doenças de pele como vitiligo, acnes, manchas, psoríase e dermatite atópica. Segundo a estimativa da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), uma em cada três pacientes que sofrem com doenças de pele já apresentou problemas emocionais, como estresse, ansiedade e depressão.

De acordo com a dermatologista Vanessa Penteado, Médica da Clínica Pantheon de Campinas, o estresse libera uma substância nos nervos, chamada neuropeptídeo que provoca às doenças de pele e inflamações. “As doenças de pele costumam aparecer nos cotovelos, joelhos, face e couro cabeludo. Fatores como estresse, infecção, problemas no trabalho ou no relacionamento, entre outros, podem ocasionar acne, psoríase e dermatite atópica”, explica a médica.

Emoções a flor da pele: O fenômeno psicodermatose está relacionado a doenças de pele causada por um fator psicológico. Se a pessoa apresentar predisposição genética e viver um momento de estresse, como a demissão no trabalho ou a separação dos pais, por exemplo, pode desencadear uma série reações na pele. “A maioria das pessoas nem desconfia que a doença de pele possa ser causada pela falta de dinheiro, fim de relacionamento ou aborrecimento no trabalho” destaca a dermatologista Vanessa Penteado. A dermatologista explica quais são as doenças mais acometidas pelo estresse e como tratá-las:

Acne: O estresse provoca alterações no corpo, principalmente hormonais, essa mudança propicia o surgimento de rugas precoce e acne. “A limpeza periódica da pele é fundamental para evitar que elas apareçam. No tratamento para a acne são usados antibióticos e retinoides. Além disso, podem ser adotados peelings e lasers”, recomenda a médica Vanessa Penteado.

Rugas: Outro problema provocado pelo estresse e que incomoda muitas mulheres é o surgimento de rugas indesejáveis. “Normalmente, quando a pessoa está estressada ela mantém o hábito de franzir a testa. Essa repetição de movimento com o tempo desencadeia as rugas. E quando os hormônios do estresse são liberados causam uma inflamação que acelera o processo de envelhecimento, favorecendo para o surgimento de rugas”, esclarece a dermatologista Vanessa Penteado.

A melhor maneira de tratar e evitar esses sinais do envelhecimento precoce é controlar o nível de irritação. A prática de exercícios físicos para aliviar o estresse, boas horas de sono, massagens e técnicas de meditação ajudam evitar que as rugas apareçam durante esse momento de estresse.

Vitiligo: É uma doença caracterizada pela despigmentação da pele, formando manchas brancas em diversas regiões do corpo. As áreas claras atingem mãos pés, face, tronco e os genitais. Estas manchas não coçam e muito menos ardem ou doem. A doença ainda não tem uma causa muito esclarecida, porém, os especialistas acreditam que o vitiligo está relacionado à produção inapropriada de anticorpos e linfócitos T.

“O vitiligo também pode ter como causa o estresse que afeta o sistema imunológico, fazendo com que o corpo comece a eliminar os pigmentos da pele” ressalta a dermatologista Vanessa Penteado. O tratamento deve ser iniciado o quanto antes possível para que a expansão das lesões não continue. Portanto, é fundamental procurar um dermatologista ao notar os sinais da doença.

Psoríase: A psoríase é uma doença inflamatória da pele, crônica, não contagiosa, caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas. Normalmente, ela aparece no couro cabeludo, cotovelos e joelhos. Além da genética, outros fatores psicológicos como, estresse, exposição ao frio e o uso de certos medicamentos podem piorar o quadro da psoríase. “Os cremes à base de cortisona, remédios imunossupressores e derivados de vitamina A, auxiliam no combate as manchas. É indicado, o paciente não evitar a exposição ao sol, a luz ultravioleta também pode ajudar a controlar o problema”,orienta a médica Vanessa Penteado.

Dermatite atópica: Esse tipo de dermatite é um processo inflamatório crônico da pele caracterizado por lesões avermelhadas, que coçam muito e, às vezes, descamam. Elas aparecem na face, nas dobras do joelho e cotovelo. “A causa da dermatite atópica não é conhecida, porém, a doença parece está relacionada a fatores genéticos e ambientais. Apesar de o estresse não provocar esse tipo de dermatite, tem sido comprovado que ele pode piorá-la”, comenta a dermatologista. O tratamento consiste em cuidados com a pele. É importante tomar banhos rápidos, não muito quentes, com pouca aplicação de sabonete e passar cremes hidratantes.

Dermatite Seborreica: Conhecida pelos nomes de seborreia, caspa ou eczema, a dermatite se manifesta sob a forma de lesões avermelhadas que descamam e coçam principalmente no couro cabeludo, sobrancelhas, barba, perto do nariz, atrás e dentro das orelhas, no peito, nas costas e nas dobras de pele, como por exemplo, nas axilas, virilhas e debaixo dos seios. “A dermatite seborreica pode ser causada pelo estresse, fadiga, mudanças de temperatura, pele oleosa e não lavar os cabelos com frequência. O uso de cremes que contêm álcool pode aumentar o risco da doença”, garante a dermatologista Vanessa Penteado. Ainda não existe tratamento para a cura definitiva da dermatite seborreica, mas existem medicamentos específicos para a pele e o couro cabeludo que são capazes de controlar os sintomas.

Cuide da sua pele e se livre do estresse e doenças

É importante, neutralizar os efeitos do estresse, para seguir um estilo de vida melhor e evitar que essas doenças apareçam na pele. “Manter uma alimentação adequada, fazer atividade física, repousar, meditar, respirar de uma maneira completa, podem interferir no nível de estresse. O ideal é controlar o estresse por meio dessas atividades, com a finalidade de melhorar a qualidade de vida”, aconselha a dermatologista Vanessa Penteado. Evite o estresse:

-Faça atividades físicas

-Não leve serviço para casa

- Aceite suas próprias limitações

-Não assuma compromissos em excesso

- Use o tempo adequadamente e não tenha pressa

- Seja tolerante consigo mesmo, não deixe fugir a liberdade própria. Se alguém tiver de ficar aborrecido, que não seja você. Saiba administrar seus relacionamentos.

Matéria publicada no site O Debate