Liminar autoriza professores de futebol e tênis a atuarem sem CREF na BA

14 de fevereiro de 2018 ● POR Redação

Em decisão liminar, a 14ª Vara Federal da Bahia atendeu o pedido da Defensoria Pública da União (DPU) em Salvador para que o Conselho Regional de Educação Física (CREF13/BA-SE) se abstenha de realizar qualquer ato que impossibilite o trabalho de profissionais sem nível superior em Educação Física ou que não estejam inscritos no Conselho como professores de futebol ou de tênis de quadra e de mesa.

A DPU havia ajuizado uma ação civil pública após denúncias de que o CREF13/BA-SE estaria autuando continuamente profissionais, impedindo-os de continuarem a exercer suas atividades, sob pena de responderem por contravenção penal de exercício ilegal da profissão.

De acordo com a DPU, a Lei nº 9696/98, que elenca as atividades privativas do profissional de Educação Física que exigem registro junto ao CREF, evidencia nos artigos 2º e 3º que as atividades desempenhadas pelo técnico ou treinador de tênis ou de futebol não são privativas de profissional de Educação Física e não exigem o registro no Conselho.

Além de estar impossibilitado de realizar fiscalizações, o CREF13/BA-SE também deve apresentar em 30 dias a lista com todos os professores que foram fiscalizados e autuados pelo Conselho nos últimos cinco anos, contendo a cópia dos autos de fiscalização e infração. A decisão da Justiça Federal cabe recurso.

Matéria original no site Correio 24 horas.