Suplementos: vale a pena consumir colágeno?

01 de dezembro de 2016 ● POR

O colágeno é uma proteína que pode ser encontrada em alguns alimentos e também como um suplemento alimentar e tornou-se conhecido entre muitos atletas por seu papel nos tendões e cartilagem. Sendo mais específico, o colágeno forma o tecido conjuntivo dos tendões, constantemente expostos a lesões quando praticamos esportes de alto impacto, como a corrida de rua.

Mas, enquanto o nosso corpo é responsável pela produção de colágeno, ao longo dos anos nós vamos perdendo essa proteína. A produção endógena de colágeno diminui cerca de 1% por ano. Além disto, existem outros fatores que aceleram esse processo, como alterações hormonais que afetam a produção da proteína principalmente nas mulheres, e outros como o consumo de álcool, drogas, o excesso de açúcares, a exposição ao sol, dietas com restrição alimentar e a desidratação.

Para amenizar essa perda, no mercado existem produtos que complementam esta proteína com o colágeno hidrolisado, um pó que é diluído em água e estimula a produção do colágeno no organismo.

De acordo com especialistas, embora os suplementos não tenham efeitos secundários, a ingestão de grandes quantidades não surte efeito, já que a produção do organismo é limitada.

Nestes casos, antes de suplementar, vale investir também em alimentos ricos em colágeno, como carne, frango, peixe e legumes, especialmente as lentilhas. Quando nós consumimos esses alimentos, nosso corpo os reduz em aminoácidos menores e, em seguida, os transforma em colágeno para usá-lo na reparo do tecido danificado.

Outro detalhe muito importante: não devemos esquecer as vitaminas. Para o corpo conseguir degradar e sintetizar o colágeno necessário, as vitaminas são essenciais, especialmente a vitamina C e outros aminoácidos, como a lisina e a prolina.

Então, para atletas que estão em período de treinamento intensivo ou lesionados, o consumo de colágeno pode ajudar – seja em forma de alimentos ou suplementos, mas na medida certa, sem exageros.

Esta matéria foi publicada no site  Activo Chile.