A última barreira contra a preguiça

30 de janeiro de 2012 ● POR Redação

Muita gente não consegue gerar dentro de si a motivação necessária para adotar e se manter ativa e daí depende da energia que vem de fora para agir.

Muitas vezes quando alguém contrata um personal trainer, deposita nesse investimento a esperança de receber, no contato com o treinador, muito mais do que apenas as diretrizes técnicas e corretivas para a realização do programa de exercícios.
Fato é que muita gente não consegue gerar dentro de si a motivação necessária para adotar e se manter ativa e daí depende da energia que vem de fora para agir.
Muitos personal trainers e professores sabem do que estou falando, pois ouvem constantemente frases do tipo:
“eu só venho na academia porque sei que vou encontrar você aqui para me motivar”
ou
“só faço exercício porque você vem em casa, sozinha eu nunca faria”
Depoimentos como esses evidenciam e reforçam o nosso papel como agente motivador das mudanças positivas de comportamento na vida das pessoas.
Quando compreendemos o significado disso, podemos ampliar significativamente o alcance da nossa atuação para além de aspectos fundamentalmente técnicos e, então, justifica-se o aprofundamento em conhecimentos a respeito de comportamento, estilo de vida, habilidades de comunicação e tudo aquilo que pode nos tornar fornecedores cada vez mais fluentes dessa energia necessária para a malhação regular de nossos clientes.
Não quero dizer com isso que nosso trabalho é apenas estar presente lá, na academia ou na casa dos clientes. Fico surpreso com alguns depoimentos de pessoas e de profissionais que acreditam que o trabalho do personal trainer é ficar batendo papo com seus clientes, ajudando eles a cumprir 45 minutos sofridos na esteira e assistindo à televisão.
Quero sim chamar a atenção para o alcance do significado que nosso trabalho tem na vida das pessoas.
Todo mundo espera que um personal trainer entregue, a cada sessão de treino, junto com suas orientações técnicas, uma dose invisível de uma energia que impulsiona quase que magicamente as pessoas para a ação.
Considero ainda que um dos nossos maiores desafios é ajudar as pessoas a depender cada vez menos dos estímulos externos e aprender a gerar toda essa motivação e energia dentro delas mesmas.
Até que isso aconteça, é importante saber que podemos ser a última barreira contra a preguiça para cada um de nossos clientes. Professoras e professores, NÃO AMOLEÇAM !
Forte abraço