Pesquisa analisa o efeito de diferentes modalidades de treinamento sobre a aptidão física em mulheres com mais de 50 anos de idade

08 de dezembro de 2016 ● POR Karina Dias

Ainda não está claro quais protocolos de exercícios físicos têm maior potencial para mitigar o declínio funcional na aptidão física (coordenação, flexibilidade, força, agilidade e capacidade cardiorrespiratória). Assim, o objetivo desse estudo foi comparar diferentes modalidades de treinamento em aptidão física em mulheres acima de 50 anos de idade e compreender qual protocolo de treinamento é mais eficaz para promover melhorias significativas na aptidão física.

A amostra inicial foi constituída em 79 indivíduos, dos quais 17 abandonaram o teste, resultando em um total de 62 sujeitos que completaram o estudo e fazem parte da análise (n = 62). A idade média da população estudada foi de 60,1 ± 5,4 anos, divididos em cinco grupos:

Treinamento aeróbio, treinamento simultâneo, treinamento multimodal, treinamento funcional e grupo de controle. A aptidão física foi analisada através dos testes AAHPERD (Aliança Americana para Saúde, Educação Física, Recreação e Dança) (0 e Oitava semanas). As análises de ANOVA (efeito aleatório) mostram um efeito principal do tempo de coordenação (p <0,001), força (P = 0,004), agilidade (p <0,001) e capacidade cardiorrespiratória (p <0,001), e interações estatisticamente significativas para Coordenação (p = 0,003) e capacidade cardiorrespiratória (p = 0,033). Ao comparar as diferenças relativas médias entre o grupo (?%), observou-se melhora significativa na coordenação e agilidade (p <0,001) no comportamento multimodal e nos Grupos de treinamento funcional.

Em relação à aptidão cardiorrespiratória, houve melhora significativa nos níveis aeróbio,
Grupos de treinamento simultâneos e multimodais (p <0,001) e aumento de força no grupo de treinamento funcional (p = 0,04). O treinamento funcional demonstrou ser o mais eficaz na promoção de melhorias significativas na aptidão física, do que os outros protocolos de exercício investigados.

Leia o artigo na íntegra clicando aqui.

Autores: Lucas Melo Neves, Tiego Aparecido Diniz, Fabrício Eduardo Rossi, Ana Claudia Souza Fortaleza, Eduardo Tomoyoshi Horimoto, Vanessa de Oliveira Geraldo, Vanessa Ribeiro dos Santos, Ismael Forte Freitas Júnior