Canelite: a lesão dos corredores

13 de fevereiro de 2017 ● POR Redação

Assim como a fascite plantar e a tendinite de Aquiles, a periostite tibial, também conhecida como canelite é, sem dúvida, uma das lesões mais comuns entre os corredores. O problema costuma causar uma desagradável dor na região da canela, além de deixar os atletas longe do asfalto por várias semanas. Mas como surge a canelite em corredores?
Para entender melhor o que causa esta lesão, é preciso compreender primeiro quais estruturas do corpo estão envolvidas. A tíbia é o segundo maior osso humano – perdendo apenas para o fêmur – e está localizada entre os pés e o joelho, sendo responsável por carregar boa parte do peso do corpo.
Com o esforço repetitivo e o aumento da tensão na região, o periósteo, membrana que reveste os ossos, pode inflamar, causando dor e desconforto.
Segundo o especialista em cinesiologia Alonso Niklitschek, a canelite em corredores se manifesta por meio de uma dor na face medial da tíbia. As razões para que ela apareça são muitas, como uso de tênis não adequado para o seu tipo de pisada, treinos em superfícies duras, esforço excessivo, obesidade e aumento da intensidade do treino.
Como tratar
Alonso explica que para o tratamento da canelite recomenda-se descanso, gelo e exercícios de alongamento dos músculos da perna. Além disso, dentre as possíveis causas, é preciso entender qual é aquela que está contribuindo mais para o aparecimento do processo inflamatório. Apesar de não ser uma lesão grave, se não for tratada, pode evoluir para uma fratura por estresse na tíbia.
Portanto, é importante ficar atento aos sinais de dor para que o problema  seja detectado logo no início.
Esta matéria foi originalmente publicada no site Activo Chile.