Para professores: ouvir música para acelerar ou diminuir as batidas do coração?

09 de janeiro de 2017 ● POR Pedro Cunácia

Por: Camila Brogliato
Rock, pop, eletrônico, rap, funk… qual a batida que você gosta de ouvir treinando? As opiniões se dividem quando o assunto é ouvir música durante o treino: uns dizem que a música tira o foco da corrida, que pode facilitar lesões por ser um tipo de distração (tanto do corpo quanto do ambiente em que está correndo); outros, que a batida da música ajuda a correr mais e melhor.
Segundo Costas Karageorghis, autor de Applying Music in Exercise and Sport, quando o corpo está muito cansado, as frequências cardíaca e respiratória tendem a entrar em sintonia com o ritmo da música.
E um estudo recente abordou essa questão de ouvir música durante o treino, porém não falando especificamente sobre músicas para dar gás, mas sobre aquelas músicas mais lentas e como elas influenciam na diminuição da frequência cardíaca após o esforço.
Segundo os autores do estudo, quando os participantes da pesquisa ouviam música com batida lenta após 20 minutos de corrida, as batidas do coração voltavam mais rapidamente ao estado de repouso do que quando ouviam músicas mais animadas.
E, depois de testarem a influência de músicas rápidas e lentas na frequência cardíaca, concluíram que ouvir música durante o treino, nos períodos de descanso dos treinos intervalados ou de corridas ritmadas, também teria o mesmo efeito e ajudaria a diminuir a frequência cardíaca mais rapidamente.
No entanto, enquanto a música lenta produziu um efeito de relaxamento maior após o exercício, parece que qualquer tipo de música pode ajudar o processo de recuperação física.
Usando a música para ajustar o coração
A música pode fazer você rir ou chorar, irritá-lo ou acalmá-lo. E pode ajudar a aliviar a recuperação, alívio do estresse – até baixar a pressão arterial um pouco. Já existem muitos estudos que provam como o ritmo da música pode acelerar ou diminuir o seu pace e as batidas do seu coração, aliviar o estresse, a depressão, te deixar mais feliz… Veja outros estudos sobre os efeitos da música e seus benefícios para o organismo:
Diminuir a dor. A música pode reduzir significativamente a percepção da intensidade da dor, especialmente quando falamos de tratamento de idosos, pessoas com sintomas depressivos, em tratamentos intensivos ou medicina paliativa. Segundo este estudo, o maior benefício percebido por eles é com as músicas clássicas e instrumentais, como Bach e Mozart.
Melhorar a motivação e a performance durante a corrida ou treino: Ouvir ritmos agitados de música durante o treino aumenta o desempenho físico e a resistência em treinos difíceis. Isso funciona parcialmente por meio do poder da distração: quando estamos focados na música, podemos não perceber que corremos um quilômetro extra.
Melhorar a qualidade do sono: Um estudo demonstrou como ouvir música clássica foi efetivo no tratamento de insônia em jovens estudantes, mostrando-se mais efetivo, seguro e barato do que remédios para dormir.
Fazer as pessoas comerem menos: Um estudo descobriu que tocar música suave (e escurecer as luzes) durante uma refeição pode ajudar as pessoas a desacelerar enquanto comem e, finalmente, consumir menos comida durante a refeição.
Melhorar a função dos vasos sanguíneos. Cientistas descobriram que as emoções que os pacientes experimentam ao ouvir música têm um efeito saudável sobre a função dos vasos sanguíneos. A música fez os participantes do estudo se sentirem mais felizes e resultou em aumento do fluxo sanguíneo em seus vasos sanguíneos.
Qual a sua opinião?