Psicologia do Esporte para treinadores

12 de setembro de 2018 ● POR Flávio Rebustini

Observando como os atletas agem, pensam e sentem quando treinam e competem os técnicos tem uma visão geral sobre o do lado mental da pratica esportiva. Existem algumas ferramentas mentais como definição de metas, imagens, relaxamento e conversa interna que podem contribuir grandemente para ajudar seus atletas a desenvolver programas de treinamento mental e aumentar a sua performance. Usando técnicas específicas, a psicologia do esporte pode ser a grande aliada do treinador.

Ao desenvolver a técnica de visualização mental, por exemplo, permitimos que os atletas experimentem várias situações possíveis em uma competição mentalmente, de forma que quando for hora de competir, eles já estejam preparados para atuar no mais alto nível independente das interferências externas.

A visualização mental é uma habilidade chave da psicologia do esporte. Esta técnica ajuda os técnicos a desenvolverem seus. Isso pode implicar sessões de treinamento específicas que praticam a visualização mental da perfeita execução da técnica ou da tática a ser usada em um jogo. “Embora ainda não esteja claro por que, as imagens frequentemente predizem comportamentos: imaginar o desastre ou o sucesso no trabalho, nos relacionamentos ou no esporte geralmente leva a esse resultado. Assumir o controle de nossa imaginação é vital se quisermos administrar nosso comportamento de maneira eficaz, especialmente no esporte. ”

Morris, T., Spittle, M., & Watt, A. (2005)
As imagens mentais têm sido o foco de muitas pesquisas nos últimos anos. Os resultados consistentemente nos levam a acreditar que a implementação bem-sucedida de técnicas de imagens tem um efeito direto e positivo no desempenho esportivo.

Através delas simulamos, por exemplo, a pressão a que os atletas são submetidos em um campeonato. Podemos deixá-los fisicamente e psicologicamente cansados através de uma dura sessão de treinamento e então os convencermos a competir. Podemos ter pessoas ou recursos que reproduzam vais ou torcida; luz e sombra, calor e frio. Esse tipo de simulação nos ajuda a ultrapassar os limites.

O desenvolvimento de habilidades mentais, como motivação, gerenciamento de energia, foco, gerenciamento do estresse e autoconfiança, pode levar um atleta a adquirir melhores habilidades e melhor desempenho. O psicólogo do esporte pode ajudar a descobrir como reunir tudo isso em planos mentais e programas de treinamento de habilidades mentais que permitem que seus atletas atinjam e mantenham uma mentalidade que estimula o desempenho máximo.
Psicólogos do Esporte também usam rotinas ou rituais psicológicos pré-performance. As rotinas e rituais são importantes principalmente, para desenvolver a atenção, motivação, foco, autofala e e mentalização,

uma rotina psicológica representa a combinação de diferentes técnicas fisiológicas e psicológicas com o fim de estabilizar o comportamento emocional de atletas na competição e de ajudá-lo a dirigir sua atenção aos estímulos relevantes da tarefa a ser realizada. Samulski (2002)

Os técnicos são colocados em uma função que considera uma quantidade significativa de orientação e responsabilidade. Uma das habilidades mais importantes que um técnico deve desenvolver é a liderança pessoal. Os atletas observarão não só os seus atributos positivos, mas também suas quedas. Desenvolver um conjunto de habilidades de liderança que ajudará os atletas a melhorar tanto no esporte quanto nos esforços pessoais é crucial.

Não tenha dúvidas, os atletas não precisam apenas de uma liderança eficaz, eles também desejam isso. Os jovens querem parâmetros consistentes, direção, estrutura de ordem, organização e disciplina. Eles precisam disso, saibam ou não. Isso lhes dá segurança e isso, por sua vez, os ajuda a serem mais confiantes. (Dorfman, 2003)

Entender os padrões de comportamento e personalidade de cada um dos seus atletas é outro aspecto fundamental da psicologia do esporte. Os técnicos já capacitados e com ampla experiência fazem isso em um nível interessante: quase orgânico. O psicólogo do esporte pode tornar esse conhecimento ainda mais profundo. Compreender um atleta dá ao técnico uma direção sobre como se comunicar e ajudar os atletas a desenvolver suas forças e superar suas fraquezas.
Relativamente mais simples, mas muitas vezes não dívida e clara entre os atletas, a definição de metas é mais um exemplo de como a psicologia do esporte pode ajudar os técnicos. Todo atleta de sucesso precisa estabelecer metas. Dividir as grandes metas em metas menores ensina habilidades de concentração restritas e mostra ao atleta como se concentrar no processo, em vez de no resultado de um desempenho. Ter metas menores para se concentrar contribui para que as metas mais significativas estejam cada vez mais próximas, ja que pequenas conquistas serão mais constantes.
O técnico deve também se utilizar de um modelo de feedback eficaz combinado com linguagem positiva apropriada. Quando um técnico diz ao atleta o que ele está fazendo um gesto técnico incorretamente, ele também deve explicar como corrigir o erro. Quando o atleta tenta consertar a técnica, o técnico deve encorajar positivamente o atleta por seu esforço e dar suporte para que ele saia da zona de conforto pessoal. Essa atitude ajuda a aumentar a autoconfiança do atleta em sua capacidade de fazer mudanças e conseguir resultados positivos e eles começam a se sentir mais confortáveis enquanto operam fora de sua zona de conforto.

Monitorar a conversa interna dos atletas é mais um dos exemplos e conceitos de psicologia esportiva para ajudar os técnicos. Todo mundo fala consigo mesmo. (É essa voz agora que está na sua cabeça agora perguntando se você fala com você mesmo) A conversa interna de um atleta afeta seu desempenho. Pedir aos atletas que comecem a notar suas conversas internas pode ajudar um atleta a começar a mudar a conversa interna negativa, transformando-a em positiva e capaz de criar melhora no desempenho. A conversa interna de um atleta é frequentemente uma representação de suas próprias crenças pessoais. e, portanto, capazes de criar melhores desempenhos. Segundo Weinberg e Gould (1996) ao usar a autofala, o atleta dá uma instrução a si mesmo. O ideal é que cada atleta encontre a autofala que corresponda à sua necessidade.

No alto rendimento, os técnicos que desenvolveram suas próprias habilidades psicológicas e de liderança são os mais qualificados para ensinar aos seus atletas as habilidades psicológicas que podem melhorar suas performances.
Os comportamentos dos técnicos são determinantes para o bem-estar psicológico, aprendizagem e rendimento dos atletas.

“As ações dos técnicos têm um impacto significativo sobre os comportamentos, cognições e respostas afetivas de jogadores e influenciam diretamente a aprendizagem e resultados obtidos” (Cushion, 2010)

Como técnico, lembre-se sempre de dedicar tempo para desenvolver essas relações. Esta melhora consequentemente melhorará também os resultados esportivos. Essa relação começa a se estreitar com a compreensão de si mesmo e de seus atletas.

Referências

Cushion, C. (2010). Coach behavior. In. J. Lyle & C. J. Cushion (Eds.), Sports coaching professionalization and practice (pp. 243–253). London: Elsevier.
Dorfman, H. (2003). Leadership and Power(s). In Coaching the mental game: Leadership philosophies and strategies for peak performance in sports, and everyday life (p. 3). Lanham, Maryland: Taylor Trade Publishing.
Samulski, D. 2002. Psicologia do Esporte. Barueri: Manole.
Morris, T., Spittle, M., & Watt, A. (2005). Imagery in sport. Champaign, Illinois: Human Kinetics.
Weinberg, R.S. y Gould, D. (1996). Barc

Autores

Letícia Capuruço – Psicóloga. Especializanda em Psicologia do Esporte pela Universidade Estácio.

Flávio Rebustini – Membro do LEPESPE – Laboratório de Estudos e Pesquisas em Psicologia do Esporte. Doutor pela Unesp/Rio Claro