Intel Security revela riscos de segurança associados a pesquisas on-line sobre dietas

19 de maio de 2016 ● POR Karina Dias

A Intel Security realizou um estudo para entender o comportamento dos consumidores ao pesquisarem programas de dieta e emagrecimento on-line e para ajudar a conscientizá-los sobre os possíveis riscos de serem infectados com malwares. O estudo ressalta várias maneiras que os cibercriminosos utilizam para se aproveitar do interesse público por programas de dieta e as atividades de riscos associadas a esse comportamento.

São Paulo, 19 de maio de 2016 – A Intel Security divulga as descobertas de seu novo estudo “A Dieta da Segurança On-line: Você é aquilo que você clica”, que analisa o comportamento e a atitude on-line de brasileiros com idades entre 21 e 54 anos em relação a chamadas online conhecidas como “iscas de cliques” (clickbait) sobre dietas. A pesquisa revelou que, quando se trata do sonho de ter um corpo perfeito, as pessoas podem estar dispostas a sacrificar sua segurança on-line, caso isso as aproxime dos resultados desejados.

“Os cibercriminosos estão cada vez mais capazes de entender os hábitos de pesquisa dos consumidores e estão tirando máximo proveito dessas informações”, afirma Gary Davis, especialista em segurança do consumidor da Intel Security. “Por esse motivo, torna-se cada vez mais importante que as pessoas saibam pesquisar on-line com segurança e identificar sites e e-mails que podem trazer riscos. É por isso que continuamos investindo em programas constantes de conscientização, para incentivar hábitos sólidos que auxiliem os clientes a ter uma experiência on-line mais segura.”

Alguns destaques do estudo:
Promoções de dietas: Bom demais para ser verdade?
· 73% dos entrevistados brasileiros já clicaram em um link promocional anunciando uma dieta.
· Entre os que disseram nunca clicaram, 59% afirmam que clicariam em um link com tal conteúdo.
· A grande maioria das pessoas que clicam em tais links considera a possibilidade de ser spam ou malware (91%).
· 47% dos entrevistados provavelmente clicariam em um link promocional anunciando uma dieta antes da chegada do verão. Outros 33% dizem que eles estariam mais propensos a clicar em tal link antes de um feriado.
· 46% dos entrevistados disseram que provavelmente clicariam em um link promocional ou artigo oferecendo dicas de emagrecimento apresentadas ou aprovadas por uma celebridade.
· A maioria das pessoas mantem-se atualizada sobre as últimas tendências sobre emagrecimento, saúde, e questões do corpo através de pesquisa on-line (67%), blogs de saúde ou websites (45%), mídias sociais (41%), ou revistas (37%).

Pense antes de clicar

· 36% dos entrevistados já adquiriram um serviço ou um produto de um link promocional sem saber se era ou não de um site seguro.
· Mais da metade dos entrevistados provavelmente clicaria em um link promocional de dietas gerado por uma pesquisa do Google* (56%), enquanto outros informaram que clicariam em links anunciados no Facebook* (52%), em um site (37%) ou em um aplicativo que eles já utilizam (26%).

Cuidado com o que você compartilha
· Muitos entrevistados afirmam estar dispostos a compartilhar informações como endereços de e-mail (73%), nome completo (58%) ou idade (55%) em um site, serviço ou empresa, na esperança de alcançar o peso desejado ou o corpo dos sonhos.
· Ao mesmo tempo, 30% dos entrevistados brasileiros admitem não sabe verificar se um site é seguro antes de enviar dados de pagamento ou informações pessoais.

Você pode se proteger para evitar golpes de dietas on-line:
· Clique com cautela. Ofertas de sites que parecem boas demais para ser verdade, como “Perca 5 kg em uma semana”, pedem cautela. Sites ou e-mails podem incluir links de phishing que direcionam o usuário para sites que os induzem a dar informações pessoais para cibercriminosos ou fazer download de malware em seus computadores.
· Navegue com segurança. Cuidado com sites falsos. Sites com o objetivo de enganar os consumidores podem ter um endereço que parece ser legítimo, como “Wait Watchers” em vez de “Weight Watchers”. Sites falsos geralmente apresentam erros ortográficos e de gramática, ou imagens em baixa resolução. Se um site solicitar informações pessoais, confirme a URL e verifique se realmente é o site que você pretendia visitar e não um impostor. Use uma ferramenta de reputação on-line, como o McAfee WebAdvisor que auxilia a identificar sites perigosos e que avisa quando você estiver prestes a visitar um.
Elabore senhas fortes. Evite a senha “123321” e utilize outra mais reforçada como “9&4yiw2pyqx#”. Altere suas senhas regularmente e não use a mesma senha para todas as suas contas. Para aumentar a eficácia de suas senhas, você pode usar um gerenciador de senhas.
· Mantenha-se atualizado Os melhores softwares de segurança são atualizados automaticamente para proteger seu computador. Utilize a versão mais recente do sistema operacional do fabricante e permita que os patches de segurança sejam atualizados regularmente. Além disso, sempre tenha um software adequado instalado para realizar varreduras de rotina.
· Utilize uma solução de segurança abrangente Ao proteger todos os seus dispositivos com uma solução de segurança abrangente, como McAfee LiveSafe, você fica imune a malwares e a outros ataques cibernéticos.

Metodologia do Estudo
Em abril de 2016, a Intel Security solicitou que a MSI International realizasse uma pesquisa global on-line com 15 mil consumidores com idades entre 21 e 54 anos divididos de maneira uniforme em idade e sexo. No Brasil, 800 pessoas participaram da pesquisa.