Estudo sugere incluir o hábito de dançar nas aulas de Educação Física

05 de abril de 2019 ● POR Redação

Um projeto realizado na Finlândia mostrou que a dança proporciona efeitos positivos na aprendizagem de crianças e adolescentes. Promovendo bem-estar, ela consegue estimular o espírito de grupo e promove melhor desempenho cognitivo.

Chamado de ArtsEqual, a iniciativa finlandesa foi criada pela falta de atividades físicas entre crianças, adultos e adolescentes. Além disso, de acordo com o relatório publicado, a percepção negativa da competência física reduz a motivação para o movimento e o exercício.

“Na expressão corporal e na dança, a atividade física é combinada com a expressão de sentimentos, interação social e participação cultural, o que cria um elo multidimensional para um desenvolvimento, aprendizagem e bem-estar holísticos no contexto escolar”, explicam os pesquisadores.

Dessa forma, a dança, inserida como atividade física, consegue desempenhar um papel útil na prevenção de problemas mentais e exclusão social entre crianças e adolescentes.

Liderada pela professora Eeva Anttila, da Academia de Teatro da Universidade das Artes de Helsinque, a iniciativa foi tão positiva que a entidade lançou uma recomendação de que as crianças em idade escolar devem ter mais oportunidades de se envolver em dança e expressão corporal como parte do currículo escolar.

Encorajando crianças a sair de suas carteiras, a iniciativa mostrou que a dança ajuda a construir confiança, reduz os preconceitos em relação à expressividade corporal e o medo de se apresentar, e tem um grande potencial no apoio dos mais novos na escola.