Corfebol: legítimo jogo de bola ao cesto

23 de junho de 2006 ● POR Redação

Para as mulheres: cansada de ver sempre os homens dominando as quadras por aí? Estressada por tentar reunir as amigas pra um joguinho e nunca tem gente suficiente? A solução talvez esteja num esporte centenário, mas relativamente novo no Brasil, em que os times são mistos.

Esse é o Corfebol, uma espécie de basquete nascido na Holanda cujos times são formados por quatro mulheres e quatro homens de cada lado. A marcação, porém, só pode ser homem-a-homem e mulher-a-mulher. Na partida, o jogador não pode bater a bola no chão enquanto está com ela. Os passes podem ser apenas quicados.

A movimentação dos atletas é livre em quadra, sendo que eles não podem apenas correr com a bola. O objetivo é fazer a cesta (neste caso literalmente, porque o aro, na verdade, é uma cesta de vime). Independentemente do local do arremesso, cada cesta (corfe, em holandês) vale um ponto.

O jogo tem dois tempos de 30 minutos. Cada equipe possui a sua cesta, a 3,50m de altura. O atleta pode efetuar arremessos por trás da cesta, que fica a 6,67 metros da linha de fundo. No Brasil, o Corfebol foi introduzido há seis anos pelo professor de Educação Física Marcelo Soares. Hoje, o esporte já é até reconhecido pela Federação Internacional de Korfball (IKF).

Que tal organizar uma partida e testar com os amigos e amigas?