Pedagogia da natação: respeito ao estilo do aluno é primordial no processo de aprendizagem

06 de junho de 2017 ● POR Igor Hueb de Castro

O ensino da natação tem se caracterizado pela sistematização de rotinas das chamadas sequências pedagógicas compostas por conteúdos pré-determinados para o aprendizado técnico dos quatro estilos da natação competitiva. Quando o ensino é focado no produto, aspectos como a etapa de desenvolvimento da habilidade do nadar em que o aluno se encontra, sua faixa etária, seus interesses e possibilidades físicas particulares não são considerados, o que pode tornar a aprendizagem da natação um processo monótono e sem significado para quem aprende e repetitivo e desinteressante para quem ensina. A fim de alterar esta situação, é fundamental que o foco do ensino passe a ser o processo do aprender a nadar e não o seu produto, qual seja, o domínio mecânico dos estilos consagrados de nado. Os fatores que interferem na aprendizagem da natação podem envolver o indivíduo, o ambiente ou a tarefa e esses aspectos poderiam ser investigados e conhecidos em benefício da aprendizagem, o que se pretende valorizar neste artigo enquanto pesquisa pedagógica. Mergulhe na pesquisa abaixo e melhore as suas aulas.

Resumo
Este ensaio tem o objetivo de discutir uma possibilidade para o ensino da natação a partir de uma
perspectiva que supere o “aprendizado do saber fazer”. São levantados alguns aspectos da pesquisa em Educação Física que poderiam subsidiar propostas pedagógicas alternativas ao modelo desportivo para o ensino da natação. Destaque é dado à necessidade de produção de conhecimento pedagógico em Educação Física, a fim de que este subsidie a ?ciência do ensinar ? em natação. O ponto de partida é uma avaliação dos métodos encontrados na literatura e dos pressupostos pedagógicos que têm orientado as diferentes escolas. Em seguida, apresenta-se uma proposta baseada na interação dinâmica entre organismo, ambiente e tarefa como possibilidade pedagógica para a sistematização de um ensino em natação que valorize os quatro estilos de nado como conteúdos e não como metas do processo, sugerindo uma alternativa ao modelo desportivo. A proposta apresentada indica que o ensino da natação possa ser pautado por uma pedagogia que enfatize a diversidade na relação do homem com o meio líquido, ao invés do domínio técnico dos quatro estilos de nado.

Para ler o artigo na íntegra, clique: http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16609/18322

Autores: Josiane Regina Pejon FERNANDES; Paula Hentschel LOBO DA COSTA
Publicação: Rev. bras. Educ. Fís. Esp., São Paulo, v.20, n.1, p.5-14, jan./mar. 2006