Academias já estão cheias dos que só lembram de cuidar do corpo no verão

24 de novembro de 2014 ● POR Redação

Faltando poucos dias para o inicío do verão, as academias do Brasil estão lotadas de alunos ansiosos para ficarem em forma.

Com a proximidade da estação, a procura por academias de ginástica cresce em até 30%, segundo dados da Associação Brasileira de Academias (ACAD). 

O aumento de matrículas inicia quando os primeiros raios de sol começam a ficar mais quentes. Praias, clubes, férias e o grande calor que toma conta da estação, contribuem para que cada vez mais pessoas procurem formas de deixar o corpo cada vez mais à mostra. E claro, se sentirem bem com isso.

Na busca pelo corpo perfeito, ter um instrutor orientando, como um personal trainer, garantem flexibilidade de atendimento, segurança de que o profissional vai respeitar os limites do corpo do aluno, evitando lesões futuras, e, em alguns casos, até mesmo um resultado mais rápido.

“As vantagens são incontáveis, em primeiro lugar é o treino individualizado, o profissional está respeitando os limites da pessoa; em segundo, a motivação, o aluno ta em casa, sem querer ir na academia, e quando vai tem que revisar o aparelho, tem que esperar o instrutor da academia lhe dar atenção, com um profissional trainer, ele tem o  horário agendado, além da segurança de ter um profissional te garantindo a progressão de carga de forma segura e correta, a execução do exercício e a correção postural,” explica o educador físico e personal trainer Mauricio Mascarenhas, que atua na academia Julião Castello.

Ele ressalta a importância do aluno procurar um especialista antes mesmo de realizar qualquer tipo de atividade física. “É importante a visita a um cardiologista para realização de um check-up, o que poderá evitar problemas futuros”, argumentou Mauricio.

Mas todas essas vantagens, custam caro. O valor da hora aula varia de R$ 60 a R$ 70, um aluno que pegar o mínimo de aulas, três vezes na semana, vai ter que desembolsar cerca  de R$ 720 reais, mais o valor da academia que vai malhar, somado a taxa cobrada pelo estabelecimento pela permanência do personal.

O engenheiro, Junior Cruz, tem 26 anos, e em todas as outras estações preferiu ficar em casa relaxando, em vez de enfrentar os levantamentos de peso de uma academia. Com o fim da primavera, ele resolveu correr atrás do prejuízo e se matricular. “Sou bem preguiçoso pra falar a verdade, fujo o quanto posso da academia, acho chato. Mas gosto muito de atividade física, não dispenso um futebol, pena que só isso não da pra ficar com o corpo em dia. Comecei a musculação e estou com a esperança de conseguir perder a barriga até janeiro,” conta Cruz.

Assim como Junior, a estudante Fernanda Lima teve a mesma ideia. Procurou uma academia na rua em que mora, comprou roupas de malhação e se empenhou na musculação. A motivação de tudo isso? Segundo ela, as festas que ocorrem no verão. “Quando chega janeiro em Salvador, isso aqui vira uma loucura. Todo dia uma festa, e a gente precisa estar com o corpo em dia pra poder curtir tudo, como manda o figurino, pouca roupa e muita alegria”, explica Lima.

Para o educador físico Tarsis Oliveira, a prática requer cuidado. “Esse é um grande problema que os educadores físicos enfrentam: pessoas que vivem na inativa física e de repente resolvem se matricular em uma academia. Por que o indivíduo que vive assim e de repente resolve mudar sua forma física da noite pro dia vai passar por um período bem complicado. É muito mais difícil pra ele, do que pra uma pessoa que já tinha o costume de malhar, e deu só uma paradinha, às vezes é até frustrante. Acaba que muitas dessas pessoas vão buscar o uso de esteróides, anabolizantes,” explica.

Segundo Oliveira, o tempo ideal para uma pessoa conseguir uma melhora física, é de 12 a 18 semanas. O prazo pode parecer curto, mas ele alerta, a mudança só é notada com um acompanhamento médico, físico e nutricional, além de muito esforço.

“Dentro de uma priorização, e de um trabalho com base em uma divisão bem trabalhada, o período varia de três a quase cinco meses. A pessoa vai passar pelo período básico, intermediário, especifico e depois intransitório. Nesse tempo você consegue mudanças morfológicas bem nítidas. E o ideal é que se malhe três vezes na semana, de preferência todos dias, uma hora por dia,” disse.

Matéria publicada pelo site A Tribuna