Baixe a sua cédula digital do CREF

14 de fevereiro de 2019 ● POR Alessandro Lucchetti

Para evitar problemas com a fiscalização, o profissional de Educação Física deve portar sua cédula de identidade profissional. O Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro (CREF1) se adiantou e está lançando a cédula digital. É o primeiro documento digital lançado por um órgão de classe no Brasil.

Trata-se de uma versão digital da cédula impressa com algumas modificações para garantir a segurança do profissional, incluindo uma mudança no layout e criptografia para proteger os dados profissionais e evitar fraudes. O próprio aplicativo é capaz de verificar a autenticidade de outra cédula digital por meio de leitor de QRCode. O aplicativo está disponível no APPCREF 1 nas lojas apple Store e Google Play.

Segundo Guto Ferrari, consultor voluntário para tecnologias do CREF1, a inovação é produto de uma preocupação com a segurança das informações. “A segurança é o principal pilar desta iniciativa. Infelizmente, temos conhecimento de um mercado negro de cédulas profissionais falsificadas não somente do CREF, mas de diversas profissões”.

As informações constantes na cédula são trazidas diretamente da base de dados do conselho. “Não basta, para o falsificador, ter o papel moeda para inserir dados fraudulentos. Essas informações devem fazer parte do nosso banco de dados, o que torna a falsificação muito mais difícil, já que temos como auditar todas as inserções e alterações de informações em nossos servidores”, afirma Ferrari.

Segundo Ferrari, uma das grandes sacadas dessa tecnologia é o recurso de validação através de um QR Code. “Com ele, qualquer pessoa pode escanear a cédula digital do profissional para verificar se a imagem mostrada é legítima. Nesse caso, a mesma cédula escaneada aparecerá no smartphone de quem estiver verificando a autenticidade. Nesse momento, qualquer divergência entre as imagens acusará a fraude”.

Ferrari explica que a versão digital da cédula contém discretas alterações de layout que exercem o mesmo papel das variações de textura da moldura da cédula de papel. A finalidade é evitar que o print da tela possa ser usado como fonte de falsificação da cédula de papel. “Por todos esses motivos, posso afirmar que a cédula digital é muito mais segura do que a de papel”.

Os investimentos em criptografia são fundamentais para preservar a confiabilidade do documento, de acordo com o consultor. “A criptografia vem colaborar com a manutenção da integridade de nossa base de dados para evitar brechas pelas quais uma pessoa mal intencionada poderia invadir nossos servidores e imputar dados fraudulentos. Existem duas camadas de segurança com criptografia que separam o usuário e o servidor. Toda a informação entre as duas pontas transita de forma codificada, de forma que mesmo que se consiga interceptá-la, as informações encontradas não farão qualquer sentido”.

A praticidade é outro atributo que deverá estimular a procura pela cédula digital, na avaliação de Ferrari. “A realidade nos mostra que dificilmente o profissional está munido de sua cédula profissional pela própria realidade da profissão. O celular, por outro lado, está sempre com o profissional, por ser também uma ferramenta de trabalho. Por esse motivo, acreditamos que a cédula digital vai facilitar o porte do documento”.

O app é aberto também à sociedade, que tem acesso a áreas como consulta pública e ao validador da cédula digital. Dessa forma, qualquer usuário pode utilizar o aplicativo para confirmar se o orientador de uma determinada atividade possui registro no CREF1.

Os profissionais que tiverem registro no CREF1 devem ter a foto e a impressão digital já cadastradas no sistema, e a cédula de papel deve estar na validade. Para atualizar o cadastro, é necessário comparecer a uma das unidades de atendimento do conselho. Depois, basta baixar o aplicativo gratuito na App Store ou no Google Play. É necessário também possuir dados de acesso ao sistema (login e senha) ou e-mail cadastrado no CREF1 para emissão da primeira via da senha.