Educação Física ajuda alunos a se preparar para o Enem

22 de outubro de 2018 ● POR Nathalia Almeida

Com a maratona de provas do Enem se aproximando, algumas escolas estão promovendo iniciativas que preparam os alunos para encarar cerca de seis horas de vestibular. Além da melhora do sono, do humor e do concentração, as atividades físicas também colaboram para a melhora da autoestima e da memória.

Exigindo, além do conteúdo estudado, certo grau de concentração e foco, os alunos precisam ter um bom rendimento e manter a calma durante o exame. Para isso, a preparação requer exercícios de baixa intensidade que conseguem reduzir o nível de estresse.

Comprovado que a prática de atividades físicas produz endorfinas e causa uma sensação de prazer, os professores indicam que os alunos realizem, além de esportes tradicionais, corrida, caminhada e pilates. Praticados ao mínimo três vezes por semana, eles devem durar em torno de meia e uma hora.

De acordo com Gilberto Bello, professor de Educação Física do colégio CEL International School, qualquer atividade física ajuda no desenvolvimento intelectual do indivíduo. Responsável por incluir as técnicas do pilates aos alunos do terceiro colegial, ele afirma que um baixo rendimento físico resulta em cansaço extra e pouca energia para a realização da prova.

“Aquele bocejo que ocorre durante a prova não é sono, mas o organismo tentando captar mais oxigênio para a produção de energia”, afirma. “Desta forma, é a partir da preparação física que o organismo consegue mobilizar melhor suas reservas de energia”.

Auxiliando em maior concentração e disposição, as atividades físicas não possuem contraindicações desde que sejam liberadas por um médico. “Seus benefícios causam uma memória muscular e fisiológica que o aluno leva para o resto da vida”, comenta Bello.

“O Pilates me ajuda a ter mais concentração nos estudos. No começo, a gente sente um pouco de dor, mas logo começa a perceber os benefícios ao longo da semana. Me sinto mais relaxada e com o corpo mais preparado. O exercício ajuda um pouco a aliviar a pressão que a gente sente por conta do vestibular”, comenta Francisca Viviane, 18 anos, aluna da 3ª série do Ensino Médio